A Câmara de Joinville vai analisar proposta de internação involuntária para dependentes químicos em situação de rua. O projeto foi apresentado pelo vereador Wilian Tonezi (Patriota) nesta semana. O autor alega que a iniciativa busca oferecer assistência médica e social. Nesta semana, o Legislativo recebeu outros dois projetos, apresentados por vereadores, com previsão de multa para quem utilizar drogas em áreas públicas. As matérias serão analisadas a partir de fevereiro, após o recesso parlamentar.

Continua depois da publicidade

Clique para receber notícias de Joinville e região no WhatsApp

O projeto de Tonezi quer a criação de Programa de Internação Involuntária de Dependentes Químicos em Joinville. A internação involuntária ocorre sem o consentimento do dependente, a pedido de familiar ou de autoridade, conforme descreve o vereador. O procedimento deverá contar com decisão médica e ser comunicado ao Ministério Público. A internação pode ocorrer em unidades públicas de saúde ou clínicas privadas especializadas.

A internação involuntária só será realizada quando os “recursos extra-hospitalares se mostrarem insuficientes”. O parlamentar alega que o número de usuários de drogas em situação de rua está crescendo em Joinville e a internação involuntária pode ser uma ferramenta para o tratamento. Tonezi cita Chapecó como exemplo na adoção da internação.

Águas de Joinville e prefeitura buscam acordo em ação milionária

Continua depois da publicidade

Alta nos novos alugueis em Joinville se manteve acima dos dois dígitos em 2023

Nova licitação da ponte Joinville recebe quatro propostas

Futura duplicação em Joinville prevê nova rotatória

Rodovia do PR com divisa com SC tem plano para duplicação

Estudo vai apontar se ponte da Vigorelli poderá sair do papel

Novo elevado de Joinville tem nova data para inauguração

Destaques do NSC Total