Eleitor de Jorginho Mello (PL) e de Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno, com manifestações públicas de apoio no segundo turno, Adriano Silva (Novo) avaliou o resultado da eleição de domingo com perspectivas, evidentemente, diferentes. O prefeito de Joinville aponta relacionamento próximo com o governador eleito e confia no atendimento de demandas, inclusive citando a vice-governadora eleita, Marilisa Boehm (PL) com uma das interlocutoras de Joinville com o Estado.

Continua depois da publicidade

> Jorginho Mello (PL) tem aumento de 100 mil votos e volta a vencer em Joinville

> ​Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Na agenda inicial com o futuro governo Jorginho, estão as demandas já conhecidas, como o repasse do Estado para o Hospital São José e os convênios do Plano 1000, com recursos para obras já em andamento e futuras obras. A colaboração estadual no custeio do hospital é considerada fundamental para que a prefeitura tenha mais recursos para investimentos.

Para Adriano, a eventual presença de representantes de Joinville no secretariado do futuro governador não será uma cobrança. Para ele, se um secretário de Joinville for escolhido é “melhor”, mas há outras lideranças para interlocução, afirma Adriano, garantindo que Jorginho tem que ficar à vontade para a escolha de seus auxiliares.

Continua depois da publicidade

PRESIDENTE

Em relação ao resultado do eleição presidencial, Adriano alegou que políticas de esquerda tendem ao “inchaço” do Estado, o que traz mais custos. Para o prefeito de Joinville, mais eleitores brasileiros, em relação ao passado, passaram a se identificar com a direita, ainda que Bolsonaro não tenha alcançado o segundo mandato. Adriano alegou que confia nos brasileiros e espera o “melhor para o País”.

> Lula (PT) vence Bolsonaro e é eleito presidente do Brasil

​> ​Pais emocionam ao votar com bebê de 7 dias em Joinville: “Pelo futuro dele”

> ​Cidade de SC é a primeira do país a ter 100% dos votos apurados; veja resultados

Destaques do NSC Total