nsc
    nsc

    Mobilidade

    Temor de paralisação nos ônibus em Joinville também motivou proposta de pagamento da prefeitura às empresas

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    01/08/2020 - 11h28
    As empresas alegaram prejuízos mesmo nos momentos em que os ônibus tiveram permissão para circular
    As empresas alegaram prejuízos mesmo nos momentos em que os ônibus tiveram permissão para circular (Foto: Arquivo pessoal)

    O temor de paralisação do transporte público pelas próprias empresas, por causa dos prejuízos - mesmo quando o serviço estiver liberado - foi um dos principais motivos para a prefeitura de Joinville enviar à Câmara de Vereadores a proposta de concessão de subvenção de R$ 7,5 milhões às concessionárias, com desembolso em seis parcelas. Neste momento, o transporte coletivo está suspenso por decretos do Estado e do município. O projeto já tem manifestações contrárias de vereadores da oposição. A Ajorpeme também se mostrou contra a medida.

    > Volta dos ônibus enfrenta novo impasse em Joinville

    > Novo decreto amplia restrições para 12 regiões em risco gravíssimo para coronavírus em SC

    A justificativa do projeto da prefeitura de Joinville enviado à Câmara de Vereadores alega que há previsão legal de manter o equilíbrio do contrato e, com a pandemia, as empresas estão enfrentando prejuízos. Por isso, a subvenção. Mas como as perdas estão ocorrendo mesmo nos períodos nos quais a atividade está liberada, até porque a ocupação está em 35%, no máximo, a preocupação do governo Udo foi que as empresas viessem a paralisar as atividades, ainda que temporariamente, para evitar mais perdas.

    Ou seja, os ônibus não rodariam porque não compensaria, o prejuízo seria menor se os veículos ficassem parados. Essa situação deverá ser levada em conta no próximo protocolo de regras sanitárias a ser adotado quando os ônibus tiverem permissão para voltar a circular: as atuais medidas de prevenção serão mantidas, com possibilidade até de redução da ocupação máxima, mas não ao patamar que inviabilize a atividade. Em relação à subvenção, caso seja aprovada pela Câmara de Vereadores, a duração vai até dezembro. Portanto, o próximo prefeito assume com a tarefa de decidir se a medida terá ou não continuidade.

    PLANO DE MOBILIDADE

    O subsídio é previsto no Plano de Mobilidade de Joinville, em vigor desde 2015, uma forma de reduzir o valor da passagem ou evitar elevações maiores. Mas até então nunca tinha sido estudado pela prefeitura: a proposta nasceu por causa da pandemia.

    > ​Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas