nsc
    nsc

    Investe mais

    10 erros que você não precisa cometer ao começar a investir 

    Consultores de investimentos dão dicas para evitar investir de forma equivocada  

    05/10/2020 - 10h06 - Atualizada em: 05/10/2020 - 14h05

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    10 erros que você não precisa cometer ao começar a investir
    (Foto: )

    Começar a investir pode ser um desafio para qualquer um. As dúvidas que assolam os investidores principiantes são muitas, entre elas a insegurança sobre se é a hora certa para começar, se o dinheiro é suficiente, quais são os riscos dos investimentos e onde investir. Todas essas dúvidas são geradas, em síntese, por um fator principal: a falta de conhecimento.

    Assim como as dúvidas de quem quer começar a investir tendem a ser as mesmas, é natural que os erros dos investidores iniciantes também sejam semelhantes. Por isso, buscando evitar esses equívocos, nós listamos os 10 principais erros que quem quer começar a investir comete e o que fazer para evitá-los.

    1- Achar que o dinheiro é muito pouco pra começar a investir

    Esse é um dos primeiros erros que quem quer começar a investir comete. Diferentemente do que muitos pensam, não é preciso ter nenhum dinheiro guardado para investir. O mais importante é começar. Dessa forma, o fator tempo é mais importante do que o valor.

    Porém, para quem não tem dinheiro sobrando para investir, o ideal é começar fazendo uma uma reserva de emergência, que é um dinheiro que será usado caso ocorra algum imprevisto. Essa reserva deve ser feita em local que tenha liquidez diária, ou seja, que permita acessar o dinheiro a qualquer momento e que não sofra muito com flutuações do mercado.

    2 - Não conhecer o seu perfil de investidor

    Conhecer o seu perfil de investidor é fundamental para investir com inteligência e consciência. Quando o investidor desconhece o seu perfil de investimentos, a chance de tomar uma decisão errada aumenta muito.

    — Escolher um investimento porque o amigo está investindo ou porque viu nas redes sociais traz um risco muito alto, pois cada um tem objetivos, perfis e expectativas diferentes — aponta a consultora de investimentos e sócia da Warren, Aline Belloli.

    Para auxiliar nisso, uma das primeiras coisas que uma corretora de investimentos irá fazer após você criar sua conta será aplicar um suitability, que é um questionário feito para conhecer o novo investidor. Esse perfil revela o quanto a pessoa já sabe sobre investimentos, qual a sua experiência no mercado e também mostra sua tolerância ao risco.

    3 - Iludir-se com promessas de retornos fáceis

    É preciso desconfiar sempre de ofertas com ganhos extraordinários, já que não existe milagre no mercado dos investimentos.

    — Certa vez eu atendi um investidor que sempre manteve seu patrimônio financeiro em ativos de renda fixa, com baixo risco. A conversa inicial foi baseada em uma proposta que ele havia recebido que prometia retorno mensal do investimento de 2,0% líquido garantido, e que, para isso, era preciso assinar apenas uma nota promissória — relembra Aline.

    No exemplo acima, a consultora explicou para o investidor que ser remunerado em 2% ao mês, livre de impostos, significaria um retorno de 24% ao ano e que é comum que empresas tenham dificuldades para gerar um lucro líquido de 20% ao ano. Dessa forma, ter um retorno desses em um investimento "sem risco’’, em um cenário onde o juros atual do país é 2% ao ano, era algo bem improvável. Por isso, é importante procurar sempre a indicação de um atendimento profissional para não cair nesse tipo de armadilha.

    4 - Não ter disciplina

    Não deixe para investir apenas o que sobrar em sua conta no final do mês, isso acaba reduzindo seus investimentos mensais. Lembre-se que a disciplina é um dos principais segredos para alcançar a realização financeira. O ideal é estipular um valor mínimo ou uma porcentagem de sua renda para investir mensalmente.

    — A disciplina é uma grande aliada do investidor para atingir os objetivos de vida e, principalmente, os seus sonhos — garante Aline.

    5 - Depender de dicas e indicações de supostos gurus

    Está na moda investir em ações e muitas pessoas se autointitulam especialistas de mercado, trazendo indicações de investimento e prometendo verdadeiros milagres. É importante ter discernimento nessas horas e lembrar que não é porque um caso deu certo que todos darão.

    O mercado financeiro é volátil. Então, é importante tomar ações baseadas no momento atual e não no que já aconteceu. Outro ponto que é relevante destacar é que o investimento deve estar adequado ao seu perfil de investidor. Dessa forma, o que é muito bom para um objetivo de vida pode não servir para outro. Por isso, procurar um consultor financeiro e conhecer seu perfil de investidor são ainda as melhores soluções para quem quer começar a investir.

    6 - Tomar decisões influenciado pelas emoções ou ser ansioso

    Como já dizia Warren Buffet, "se você não pode controlar suas emoções, você não pode controlar seu dinheiro". É da natureza do ser humano ser influenciado pelas emoções, mas, infelizmente, quando falamos em investimentos, as emoções estão longe de auxiliar na tomada de decisões financeiras acertadas.

    — Há pessoas que quando investem em ações, compram em alta e vendem na baixa por ansiedade, desespero ou falta de paciência — aponta a consultora Vanessa.

    7 - Esquecer dos impostos ou não levar em conta a carga tributária

    Observar o potencial lucro dos investimentos é ótimo, mas o investidor não pode esquecer também de avaliar o impacto dos impostos na rentabilidade. Por isso, ao planejar o investimento é preciso atentar para quais são as alíquotas que precisam ser pagas, especialmente com relação ao Imposto de Renda.

    — No mercado de ações, por exemplo, operações com vendas no mês em um limite de até R$ 20 mil são isentas de IR, mas qualquer valor superior é preciso declarar e pagar 15% de toda a valorização e 20% para operações “day trade” — alerta Aline.

    8 - Não diversificar os investimentos

    Apostar todo o seu dinheiro em uma única chance de ganho pode ser um equívoco. Por isso, a dica de ouro é a diversificação. Seja no mercado de renda fixa ou de renda variável, é preciso sempre diversificar para evitar o risco de perda patrimonial.

    — Quando você investe seus recursos em diferentes classes de ativos, reduz os riscos de perdas e aumenta as chances de ter uma rentabilidade mais atrativa no curto, médio e longo prazo. A diversificação deve ser elaborada de acordo com seus objetivos e é fundamental para construção do seu patrimônio — explica Aline.

    9 - Investir pensando em resultados imediatos

    Focar somente no curto prazo pode ser perigoso, pois o imediatismo é inimigo do longo prazo. Isso se aplica especialmente ao mercado de renda variável, onde um dos principais erros de investidores é esperar resultados rápidos. Se for por esse caminho, o investidor pode acabar surpreendido pelas oscilações do mercado e perder dinheiro em vez de ganhar. Essa é uma estratégia de risco muito elevado.

    10 - Desconsiderar os riscos dos investimentos

    Mesmo quando um investidor aplica seu dinheiro de acordo com seu perfil e objetivos, tem um bom planejamento, age com disciplina, diversifica seus investimentos e analisa o contexto e os ativos, ainda assim, o investimento pode não dar o retorno desejado. Segundo Aline, isso acontece porque investir envolve riscos e é preciso ter consciência disso.

    — A verdade é que todo investimento está sujeito a riscos, seja ele de mercado, seja de liquidez ou de crédito e é o risco que projeta a possibilidade de maiores retornos.

    Dica extra

    A consultora de investimentos da Warren, Vanessa Zanchett, destaca que, além de procurar conhecimento sobre o mercado financeiro, buscar ajuda de um profissional pode ser de grande valia.

    — É aconselhável procurar um profissional para ajudar a escolher os melhores investimentos de acordo com o seu perfil, estudar, ler sobre mercado financeiro, ter uma base dos principais indicadores e fazer um planejamento financeiro para ter bem definido seus objetivos e metas a serem alcançados em curto, médio e longo prazo — explica.

    Se você quer saber mais sobre o mercado de investimentos, acompanhe o canal Investe Mais.

    E para começar a movimentar investimentos, conheça as oportunidades oferecidas pela Warren.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas