nsc
nsc

Investe mais

Investir em Previdência Privada vale a pena?

Entenda como funcionam os Fundos de Previdência Complementar e saiba como encontrar o melhor plano para investir com planejamento e segurança

18/03/2021 - 14h19 - Atualizada em: 18/03/2021 - 14h51

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Investir em Previdência Privada
É consenso entre especialistas: quanto antes iniciar os investimentos em Previdência Privada, melhor.
(Foto: )

Quem acompanha o mercado financeiro sabe que há um tempo a Previdência Privada deixou de ser usada apenas para aposentadoria e passou a compor o planejamento financeiro dos brasileiros como investimento em longo prazo. Diferentes perfis de investidores têm ampliado e diversificado seus planos, apostando também na previdência devido a diversos benefícios apresentados pela modalidade.

>> Comece a investir em 2021: Confira guia prático com 10 passos para investidores iniciantes

De acordo com Lyverson Viana, Head de Vida e Previdência na Warren, esse movimento é justificado pelas diferentes vantagens que essa forma de investimento proporciona.

— Dentre os inúmeros benefícios, eu destacaria a vantagem tributária, no caso do Plano VGBL, podendo chegar a apenas 10% de IR sobre os rendimentos. Uma das menores alíquotas do mercado. No caso do PGBL, poderá ser dedutível em até 12% da sua renda bruta anual, o que poderá gerar uma economia de até 27,5% sobre este valor — revela.

>> Entenda porque um plano de previdência privada pode ser uma forma segura de investir o seu dinheiro

Isso, de acordo com o especialista, serve como uma ferramenta de sucessão em alguns estados brasileiros, onde a previdência não tributa como herança, ou seja, um ótimo investimento de longo prazo, pois além da vantagem tributária, não incide o famoso come-cotas, que é quando o IR incide duas vezes ao ano diminuindo o seu patrimônio, assim como ocorre em outros investimentos.

Por fim, Lyverson cita ainda como uma grande vantagem, a facilidade de poder fazer portabilidades que mudam a estratégia de investimento, sem a necessidade de resgatar e pagar IR.

Melhor momento para investir

Segundo especialistas em investimento, não existe uma data indicada para começar a investir em Previdência Privada. Quanto antes, melhor. Afinal, se você é jovem, há o fator tempo como seu aliado e isso implica dizer que poderá até correr mais risco, visto que se algo sair errado no meio do caminho você terá tempo para corrigir.

Já investidores com um pouco mais de idade, segundo Lyverson, geralmente possuem uma reserva financeira maior, fruto de vários anos de trabalho e, provavelmente, estarão mais preocupados com a aposentadoria ou até mesmo a sua sucessão.

Outro ponto importante que o especialista chama a atenção é para a expectativa de vida do brasileiro, que vem aumentando a cada ano que passa, sendo mais uma boa razão para começar a investir em Previdência Privada.

Mais rentabilidade para o seu perfil

Quando você começa a investir, uma das primeiras dicas que ouve de especialistas do mercado financeiro é sobre a importância de diversificar a sua carteira entre fundos conservadores, moderados e até mesmo agressivos, dependendo, é claro, da sua disponibilidade financeira, do seu perfil e do tempo que poderá constituir essa reserva.

Logo, para o head de Vida e Previdência na Warren, empresa que oferece soluções completas de investimentos, não existe certo ou errado, e sim o que é melhor para você pensando no seu momento atual de vida e em seus planos futuros.

A recomendação é procurar um especialista para desenhar uma carteira personalizada para você. Afinal, há muitas opções de planos e alguns cuidados que devem ser tomados na hora de investir.

>> 5 sinais de que é a hora de começar a investir o seu dinheiro

Um dos diferenciais da Previdência Privada, perante outros fundos de investimento, de acordo com Lyverson, é a opção por dois regimes de tributação, o Progressivo e o Regressivo.

— O progressivo é destinado às pessoas que utilizam a declaração completa do IR e o valor investido poderá ser deduzido até 12% da sua renda anual bruta, ou seja o cliente poderá ter uma restituição de até 27,5% do valor investido limitado ao teto de 12%. Já o Regressivo é uma excelente estratégia de longo prazo, pois começa em 35% de imposto de renda sobre os rendimentos e vai caindo 5% a cada dois anos, até atingir a alíquota de 10% se o valor investido ficar por mais de 10 anos — comenta.

O especialista destaca ainda que em alguns estados do Brasil, a Previdência Privada ainda tem o benefício de não ser tributada como herança, logo não incidirá o ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação) de até 8%, dependendo do estado.

Previdência Privada empresarial

A Previdência Privada empresarial é um tipo de benefício oferecido pela empresa pensado para garantir uma aposentadoria complementar aos colaboradores.

Além de ser uma forma de reter talentos e incentivar a educação financeira, fazendo com que o colaborador reserve parte do que recebe para investimento, a Previdência Privada permite, no caso de empresas com lucro real, que o valor investido para os funcionários seja utilizado para deduzir imposto na pessoa jurídica.

Para o colaborador, por sua vez, é de grande valia, já que geralmente o valor que ele investe é complementado ou até mesmo multiplicado pela empresa que ele trabalha, mesmo que esta contribuição por parte da empresa, seguirá o tempo de casa, para que o funcionário tenha acesso. Já a parte do funcionário é livre para retirada após 60 dias da contribuição.

Além do salário, 13º e bônus ou participação nos lucros, o funcionário poderá pensar a Previdência Privada empresarial como algo que compõe a sua renda anual. E isso pode fazer diferença quando o funcionário recebe uma oferta de emprego em uma empresa que tem plano de previdência privada entre seus benefícios.

Aposta de investimento segura

Para muitos especialistas em finanças, investir na Previdência Privada é pensar em longo prazo.

— Diversificar seus investimentos é aplicar seu dinheiro em diferentes ativos e estratégias, a fim de se preservar a volatilidade do mercado, da economia e até mesmo da política, pois tudo está interligado — afirma Lyverson.

O head de Vida e Previdência da Warren sugere aos novos investidores que se atentem aos fundos que tenham a melhor taxa de administração, pois muitas vezes esse irá entregar o pior rendimento.

A indicação é para que busquem a resultante desta conta para avalizar performance, ou seja, rendimentos menos taxa de administração, risco envolvido (volatilidade quanto menor, melhor) e performance (sharpe quanto maior, melhor).

— Cuidado com os planos que possuem taxas de carregamento que são debitadas todas as vezes que você paga uma mensalidade ou faz um investimento esporádico. Antigamente esse tipo de taxa era comum, mas hoje em dia não, porém muitos clientes ainda estão em planos antigos e sendo cobrados por esse tipo de taxa, assim como a taxa de saída — diz Lyverson.

>> Sensacionalismo no mundo dos investimentos: como diferenciar profissionais corretos de fraudes

Para ele, definitivamente, se você estiver em um plano como este, deve procurar um especialista de confiança e sair o mais rápido possível.

Como uma última dica, o especialista sugere que você escolha corretamente o tipo de tributação, progressivo ou regressivo, com bastante atenção, pois se a escolha for equivocada ou você precisar de dinheiro a curto prazo, a alíquota que incidirá sobre seu plano não será das melhores.

Saiba mais sobre os modelos de investimento na Previdência Privada com os especialistas da Warren.

Leia também

Diversificar a carteira pode trazer menos riscos e a possibilidade de maior retorno em longo prazo

Quitar um financiamento imobiliário ou investir no mercado financeiro?

Saiba o que são os Fundos ESG, investimentos comprometidos com a sustentabilidade

Colunistas