nsc
dc

Investe mais

Previdência privada vale a pena? Entenda se esta é uma alternativa para investir o seu dinheiro

PGBL e VGBL? Descubra qual modalidade é mais adequada para o seu perfil de investidor e os benefícios desse investimento

10/02/2021 - 10h44 - Atualizada em: 08/04/2021 - 09h36

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Fundo de investimentos
Investir o dinheiro agora pode contribuir com um futuro mais estável e seguro
(Foto: )

Com as recentes reformas do governo e a insegurança de ter dinheiro no futuro, cada vez mais as pessoas estão preocupadas com a aposentadoria. Por isso, muitas delas estão optando por aderir a um plano de previdência privada, que garanta investimento a longo prazo e retorno financeiro no futuro. Porém, é preciso que os investidores conheçam bem as modalidades de previdência privada e as características desse tipo de investimento antes de aplicar o seu dinheiro.

>> Diversificação da carteira: Saiba como funciona e quais são os principais benefícios

Pontos positivos e negativos da previdência privada

Além de ser uma boa forma de economizar dinheiro, principalmente para aqueles que não têm muita disciplina na hora de poupar, há outros pontos positivos da aposentadoria privada, como a portabilidade, por exemplo.

— Caso o investidor esteja descontente com o plano, pode trocar de investimento, de banco ou de instituição e até de gestor, tudo sem custos extras. Além disso, nesse tipo de investimento não tem o chamado "come-cotas", que é o nome dado à antecipação de recolhimento do Imposto de Renda em investimento de diversos tipos — explica a sócia e especialista de investimentos da Warren, Aline Belloli. 

A sucessão patrimonial é outro ponto positivo, pois caso o titular do investimento venha a falecer, o valor acumulado será diretamente transferido aos herdeiros, sem necessidade de inventariar. A tributação sob medida é outra vantagem, pois ao aplicar em um plano de previdência privada, o investidor tem a opção de escolher um que tenha uma alíquota maior, com descontos no imposto de renda, ou ainda uma alíquota menor, mas sem abatimentos do IR. Porém, há também os pontos negativos da previdência privada e que devem ser observados pelo investidor, como a carência bastante elevada.

— Se o investidor quiser resgatar seu dinheiro antes desse período, o rendimento poderá ser menor do que o esperado. Além disso, todas as aplicações em previdência possuem taxas de administração e podem ocorrer outras cobranças, como taxa de carregamento e taxa de entrada e saída. Todos os gastos com a contratação do plano terão impacto sobre a rentabilidade do mesmo. Por isso, fique de olho nos valores praticados no mercado. Na Warren, não cobramos taxa de carregamento, taxa de entrada e de saída — garante Aline.

A previdência privada é um bom investimento para o meu perfil?

Antes de aplicar o dinheiro em um plano de previdência, é preciso que o investidor saiba se esse investimento é o mais adequado para o seu perfil, ou seja, se ele está disposto a investir a longo prazo, e que já tenha uma reserva de emergência formada. 

— Se você acredita que ainda não constituiu uma reserva que supra suas necessidades de curto e médio prazo, a previdência não é recomendada para você. É preciso ter em mente que um plano de previdência privada é um investimento de longo prazo. Embora você tenha liquidez e opção de resgate a qualquer tempo, não é recomendado que você resgate no curto prazo, pois as alíquotas de IR são muito mais altas do que os fundos de investimentos tradicionais — destaca Aline.

PGBL ou VGBL: Qual modalidade é a mais adequada?

Porém, se sua dúvida é sobre a modalidade de previdência privada que quer investir, como o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) ou Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), saiba que a escolha deve ser feita com base na tributação do imposto de renda do investidor.  

O PGBL é indicado para investidores que usam o formulário completo de imposto de renda, ou seja, para quem possui mais custos que o normal para descontar, como por exemplo, dependentes, despesas médicas, educação, etc.

— Esse plano de previdência garante benefícios fiscais de até 12 % ano na declaração do IR. Contudo, para investir em PGBL é preciso estar vinculado ao Regime Geral da Previdência Social. Porém, não significa que o PGBL esteja isento de Imposto de Renda. No fim do período programado, o tributo será cobrado sobre o valor total economizado ao longo dos anos — explica Aline.

>> Cashback em fundos de investimentos: Entenda os benefícios de não pagar pelo comissionamento da corretora Já o VGBL é ideal para o investidor optante pelo modelo simplificado de Imposto de Renda. Uma vez que ele tem menos despesas para descontar na declaração do IR. Neste caso, o VGBL é mais indicado, pois neste mecanismo o recolhimento ocorre somente sobre os rendimentos do patrimônio. Sendo assim, a cobrança do imposto ocorre no momento do resgate. Mais uma vantagem é que no VGBL não há limite de contribuição. — De forma geral, o PGBL é recomendado para pessoas que declaram o Imposto de Renda através de formulário completo. Ao contrário, o VGBL, é para quem realiza a declaração anual pelo formulário simples. Assim, na primeira opção, você poderá abater de suas contribuições o limite de 12% da renda anual. Já na segunda opção, o Imposto de Renda incide somente sobre os rendimentos — acrescenta Aline.

Guarde dinheiro para o futuro com rentabilidade

Com os patamares atuais de juros no Brasil, muitos fundos de previdência conservadores estão rendendo menos que o CDI. Isso fez com que alguns investidores começassem a alocar o seu dinheiro em opções mais rentáveis. Segundo dados da Anbima, que representa o mercado de capitais e de investimentos, os fundos que reúnem os recursos de previdência atraíram até outubro de 2020 R$ 20,6 bilhões, em comparação a R$ 30,7 bilhões no mesmo período do ano anterior. 

>> Entenda a importância do gerenciamento de risco e como funciona o seguro de pessoas Com o novo cenário atual, os fundos de previdência tiveram que se reinventar ao longo do último ano. Por isso, segundo a sócia e especialista de investimentos da Warren, Aline Belloli, a Warren criou um FoF (Fund of Funds), um fundo de fundos, que contempla várias estratégias em uma só aplicação.

— Em um só plano de previdência, seja ele VGBL ou PGBL, o investidor tem acesso a diversos outros fundos de previdência, desde renda fixa até fundos de ações, mantendo o portfólio diversificado, com uma gestão profissional e sem conflito de interesses — explica.

Por isso, é importante identificar o melhor modelo para o perfil do investidor e contar com o suporte de profissionais qualificados e de credibilidade para aplicar nesse modelo. A Warren, corretora digital sólida no mercado, permite migração do plano de Previdência de maneira simples e prática. 

É possível também criar uma carteira com objetivo de longo prazo e portfólio diversificado, para isso, acesse o site da Warren ou baixe o app e veja como investir de maneira segura e personalizada de acordo com seus interesses.

Acesse o canal Investe Mais para saber mais sobre investimentos

Leia também

Investir em Previdência Privada vale a pena?

Reserva de emergência representa segurança na hora de investir

5 sinais de que é a hora de começar a investir o seu dinheiro

Colunistas