nsc
dc

Coronavírus

11 pessoas morreram em SC à espera de leitos de UTI nos primeiros sete dias de abril

Ao todo, no Estado, 316 pacientes vieram a óbito por Covid-19 enquanto aguardavam por atendimento

08/04/2021 - 11h57 - Atualizada em: 08/04/2021 - 14h46

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Dados da SES mostram aumento nas mortes por falta de leitos no mês de março
Dados da SES mostram aumento nas mortes por falta de leitos no mês de março
(Foto: )

Onze pessoas morreram à espera de leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Santa Catarina nos primeiro sete dias de abril. Ao todo, 316 pacientes vieram a óbito enquanto aguardavam uma vaga em emergência ou unidade de internação clínica durante o pior momento da pandemia do coronavírus no Estado.

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Santa Catarina registrou 825.860 casos e 11.613 mortes pela Covid-19 até quarta-feira (7). A ocupação geral de leitos de UTI na rede pública é de 96,13%. O número total de pacientes internados em leitos SUS é de 1.680.

O dado de mortes de pacientes aguardando por terapia intensiva foi fornecido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) após um pedido do Ministério Público de Santa Catarina feito na terça-feira (6). Foi estabelecido prazo de 48 horas para que o governo do estado se manifestasse sobre o caso. A resposta veio nesta sexta-feira (8).

A secretaria informou também o número de pedidos solicitando vagas em UTI e o de pacientes que morreram à espera do leito desde janeiro. Naquele mês foram 70 solicitações e três óbitos. Já em fevereiro, o número de requisições subiu para 478, com 36 pacientes mortos sem atendimento na terapia intensiva.

Os pedidos por leitos tiveram um aumento expressivo em março: 1.276 até às 16h do dia 31. Desse total de pedidos, 266 foram encerrados pelo óbito dos pacientes antes dos atendimentos. Os números, segundo a SES, se referem apenas a leitos de UTI adulto.

Pedidos por leitos

O boletim divulgado na manhã de quarta-feira mostrava que apenas a região de Chapecó — que engloba nove hospitais que ficam em Xanxerê, São Miguel do Oeste, Mondaí, Maravilha, Dionísio Cerqueira, São Lourenço do Oeste e Chapecó — não tinha pedidos de transferência de leitos de UTI.

O pior cenário era o da região de Joinville, com 89 solicitações por leitos. Na Grande Florianópolis, 12 pacientes aguardavam por uma vaga.

Um boletim com dados desta quinta-feira ainda não foi divulgado pela Secretaria de Saúde.

O que diz a Secretaria de Saúde

Procurada, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) disse que os pacientes que aguardam transferência para UTIs estão recebendo "tratamento médico e encontram-se, em sua maioria, em hospitais e unidades de pronto atendimento e com auxílio de ventiladores pulmonares". 

Também informou que busca ampliar o número de leitos e que aumentou de 546 para 1.462 o total de UTIs adulto disponíveis no Estado desde o início da pandemia. Ainda disse que monitora o avanço da pandemia e que decretros determinaram fechamentos nos momentos mais críticos em SC: 

"Cabe acrescentar que o Governo do Estado entende a gravidade do momento e avalia diuturnamente o cenário para a adoção de medidas que possam garantir a assistência aos catarinenses."

Leia também:

Deputados entram na Justiça para que Bolsonaro devolva dinheiro gasto nas férias em SC

Novo ciclone em SC gera alerta a pescadores e ondas de dois metros

Santa Catarina ignora vacinação de presos do grupo de risco da Covid-19

Colunistas