A Polícia Civil apreendeu uma adolescente de 17 anos suspeita de ajudar a planejar o assassinato de um casal em Indaial. O crime chocou o Vale do Itajaí no fim de janeiro e a investigação trouxe à tona que o próprio filho arquitetou a morte dos pais. Essa foi a terceira prisão do caso. A garota foi levada para o Centro de Atendimento Socioeducativo (Casep) na tarde desta terça-feira (20).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

Conforme a Polícia Civil, a adolescente é namorada do amigo que participou do ataque. Ela teria participado do planejamento do crime, auxiliado a dupla no dia do assassinato e ainda seria beneficiada com a recompensa prometida pela “colaboração”. As provas coletadas até agora embasaram o pedido de internação provisória dela e a Justiça acatou.

As investigações apontam que o filho prometeu ao amigo, e indiretamente à namorada dele, R$ 50 mil e mais um carro. Além disso, a ideia era vender parte do patrimônio do casal, que tinha uma pequena empresa metalúrgica, e comprar uma chácara para produção de droga. O filho almejava cuidar do cultivo de maconha enquanto o comparsa ficaria responsável pela venda.

O lucro seria dividido entre eles.

Continua depois da publicidade

Um roteiro de filme de horror

As investigações apontam que há dois meses o filho começou a planejar o assassinato dos pais. Ele repassou ao amigo detalhes sobre a localização das câmeras de segurança dentro do imóvel, indicando onde estava o ponto-cego que permitiria a entrada na casa sem ser registrada.

A polícia sustenta que, na noite de 28 de janeiro, o casal foi dormir e o filho saiu do imóvel com uma mochila nas costas, por volta das 22h50min. Ele deixou uma janela e a porta dos fundos abertas. O rapaz foi até a casa do amigo, vestiu outra roupa e seguiram juntos para a residência do casal. Por ser uma área com muitas câmeras, a dupla decidiu passar pelo mato e o filho acabou perdendo a faca que usaria.

Pouco antes da meia-noite e meia, os dois entraram na casa e o filho foi até a cozinha buscar outra faca, já que tinha ficado desarmado. O pai ouviu o barulho e acordou, o que não estava nos planos, pois o jovem teria dito que a ideia era cometer o crime enquanto o casal dormia. Após esfaquearem as vítimas, voltaram para a casa do amigo, onde o filho vestiu a roupa que aparecia usando quando saiu de casa.

Continua depois da publicidade

Já por volta da 1h, a polícia foi chamada. Uma hora depois disso, o jovem apareceu. Um vizinho se prontificou a contar sobre o ataque para o jovem, para confortá-lo, sem suspeitar do envolvimento dele. Entretanto, o comportamento do jovem de 18 anos teria levantado suspeita, pois já chegou se justificando sobre o paradeiro naquela madrugada.

O que ele não espera era que logo o álibi seria desmascarado e o amigo contaria sobre ter sido “contratado” para participar do crime. Os dois foram presos em 1º de fevereiro e confessaram o crime. O pai morreu e a mãe, apesar da série de golpes, sobreviveu. A motivação seria um “ódio grande dos pais”, nas palavras do delegado Filipe Martins. Ele era filho único.

A crueldade do caso chocou até mesmo a Polícia Civil. As investigações mostraram que o filho chegou a escolher a dedo qual dos dois ele mesmo mataria. Conforme Martins, o filho fazia questão de matar o pai e o amigo ficaria responsável por assassinar a mãe. Porém, o homem acordou e entrou em luta com o amigo, que acabou o matando.

— O filho então começou a esfaquear a própria mãe. Quando o amigo terminou de matar o pai, veio e também golpeou a mulher — revela o delegado.

Continua depois da publicidade

Leia mais

Vingança motivou primeiro assassinato de 2024 em Blumenau e quatro são presos

Empresário de Brusque é desmascarado após 20 anos se passando por outra pessoa

Supercarga de explosivos é localizada pela polícia em pacata cidade do Vale do Itajaí

Destaques do NSC Total