Florianópolis fechou 2023 com o segundo maior aumento do aluguel entre as capitais do país, de acordo com o índice Fipezap+, divulgado nesta terça-feira (16). Em média, a alta na cidade foi de 27,68%, ficando atrás apenas de Goiânia (+37,28%).

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

O índice médio nacional encerrou 2023 com uma alta acumulada de 16,16%. Na série histórica, o resultado foi um pouco abaixo do apurado em 2022 (+16,55%). Imóveis com um dormitório valorizaram bem acima da média do ano (+19,23%), contrastando com o aumento menor entre unidades residenciais de quatro ou mais dormitórios (+11,98%).

Veja quanto foi a alta do aluguel nas capitais

  1. Goiânia (+37,28%);
  2. Florianópolis (+27,68%);
  3. Fortaleza (+21,95%);
  4. Curitiba (+20,70%);
  5. Rio de Janeiro (+19,79%);
  6. Belo Horizonte (+17,11%);
  7. Porto Alegre (+13,88%);
  8. São Paulo (+13,28%);
  9. Recife (+12,40%);
  10. Salvador (+12,31%);
  11. Brasília (+11,37%).

Preço médio do aluguel no país

Com base em dados de 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP de Locação Residencial em dezembro do ano passado, o preço médio do aluguel de imóveis residenciais foi calculado em R$ 42,53 por metro quadrado.

Continua depois da publicidade

Os maiores valores médios foram observados no aluguel de imóveis residenciais de um dormitório (R$ 54,74/m²) e os menores, entre unidades com três dormitórios (R$ 37,09/m²).

Entre as 11 capitais envolvidas no cálculo do índice, a cidade de São Paulo apresentou o preço médio mais elevado (R$ 51,62/m²), seguida por Florianópolis (R$ 49,81/m²).

Outras cidades catarinenses que também estão na lista são São José (R$ 37,88/m²) e Joinville (R$ 28,39/m²).

Leia também

FOTOS: Apartamento em prédio com risco de queda em Florianópolis custa quase R$ 1 milhão

Saiba quais os bairros mais procurados para aluguel anual em Florianópolis

Florianópolis é 2º destino de nômades digitais que mais cresceu no mundo em 5 anos

Destaques do NSC Total