nsc
nsc

Pets

Aprenda a interpretar a linguagem corporal dos cães

Veja como identificar as emoções e as sensações do seu animal de estimação

07/06/2022 - 14h00 - Atualizada em: 09/06/2022 - 14h05

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Aprenda a identificar as emoções dos pets
Aprenda a identificar as emoções dos pets
(Foto: )

Os pets utilizam principalmente a linguagem corporal para se comunicarem com seus tutores. Dessa forma, é fundamental compreender as necessidades e vontades deles para garantir uma relação saudável e o bem-estar desses bichinhos.

> Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

Cuidado com as interpretações

De acordo com Ruan Daros, professor de Etologia e Bem-Estar Animal e Sabrina Sato e Rafael Winieski, que desenvolvem pesquisas na área de comportamento felino e canino, “interpretações errôneas sobre o comportamento animal podem reforçar estados emocionais negativos nos animais e, assim, culminarem em uma redução da qualidade de vida do seu pet”.

Além disso, os estímulos, o ambiente, as experiências e muitas outras coisas podem influenciar na linguagem corporal dos animais. Por isso, Beatriz Espallargas, médica veterinária especializada em comportamento animal, afirma que é preciso ter cuidado ao analisar as posturas e avaliar o contexto como um todo, pois “alguns sinais que eles emitem podem ser similares, mas significarem coisas diferentes”.

Como funciona a comunicação canina?

As principais formas de comunicação canina são a corporal, a vocal e a semioquímica (substância química utilizada na comunicação entre os seres vivos na natureza). Porém, os humanos não são capazes de identificar diretamente as informações transmitidas pela semioquímica.

Comunicação corporal

Segundo os pesquisadores de comportamento animal, a maneira mais comum dos cães se comunicarem com os humanos é por meio da linguagem corporal, que é bastante ampla e envolve diversos sinais. “Por meio da linguagem corporal, podemos entender o que o cão ‘quer dizer’, assim como na comunicação vocal”, explicam. Veja a seguir o que significa cada expressão corporal do seu cão!

> Ansiedade em animais de estimação: saiba como identificar e tratá-la

Medo e dor

Por meio das posturas corporais, o cachorro consegue demonstrar se está amedrontado. “Cães em estado de medo apresentam posturas encolhidas, rabo entre as pernas e podem, às vezes, tremer e ‘congelar’”, explica o professor Ruan Daros. Nesses casos, ao aproximar-se do animal, ele pode tentar fugir de forma brusca ou atacar.

Ainda segundo ele, as posições recolhidas também podem representar dor. “É sempre importante avaliar se o cão está atento ao ambiente, orelhas e olhares em direção aos estímulos sonoros e visuais do dia a dia. Falta de atenção pode indicar alguns estados emocionais negativos, como dor”, apontam.

Estado de estresse

Quando a parte branca do olho do animal fica bastante visível pode ser sinal de estresse. Segundo os veterinários, bocejar e lamber o próprio focinho repetidas vezes (em contextos que ele não deveria fazer isso) também são sinais que o cachorro está estressado.

Quando o cachorro precisa de espaço

Um cachorro agressivo pode ser identificado pela postura bastante tensa. “Dentes à mostra, rosnado e o corpo posicionado firmemente sobre os membros posteriores quer dizer ‘afaste-se ou vai ter problemas comigo”, exemplifica o professor Ruan Daros e os pesquisadores Sabrina Sato e Rafael Winieski.

> Surdez em animais de estimação: conheça os sinais e os cuidados importantes

Como os cachorros se comunicam
Quando o animal está se divertindo, ele costuma ficar agitado
(Foto: )

Cães felizes

O abanar de rabo pode significar que o cachorro está feliz. Contudo, também é necessário que ele esteja com o corpo, a face e as orelhas relaxadas. Já quando o animal está brincando e se divertindo, ele costuma ficar agitado e realizar diversos movimentos corporais e expressões faciais.

Segundo Fernanda Fragata, médica veterinária e diretora clínica do Hospital Veterinário, Petshop e Hotel Sena Madureira, quando o cão está com as patas dianteiras reclinadas e o traseiro para cima, provavelmente ele está chamando o tutor para brincar.

O olhar pode expressar o interesse por algo

Beatriz Espallargas explica que olhar nos olhos não é um hábito comum dos cães, pois “normalmente é visto entre eles como uma ameaça”. Entretanto, por conta da convivência com os humanos, eles podem exibir esse tipo de comportamento.

“Um exemplo é quando ele olha para algo que seja do interesse dele, que está fora de alcance, e olha para o tutor. Esse comportamento pode ou não vir acompanhado de vocalizações e gestos”, aponta a médica veterinária.

Rabo entre as pernas

A posição do rabo do cachorro também pode revelar muito sobre ele. “De modo geral, o rabo entre as pernas demonstra medo. O rabo para baixo demonstra relaxamento. O rabo tenso demonstra tensão, e o rabo alto demonstra atenção”, explica Beatriz Espallargas.

Contudo, antes de tirar qualquer conclusão sobre a disposição da cauda, é preciso levar em consideração o contexto da situação e a raça, pois alguns cachorros possuem naturalmente o rabo para cima.

Movimento da cauda

Segundo o professor Ruan Daros e os pesquisadores Sabrina Sato e Rafael Winieski, na maioria das vezes, o abanar do rabo representa “uma expressão de felicidade, seja para com pessoas conhecidas, seja para animais conhecidos”. No entanto, a velocidade e a forma como o cachorro movimenta a cauda podem fornecer outras informações, que também dependem do contexto.

> Confira 5 curiosidades sobre os répteis

Comunicação vocal

Segundo o professor e os pesquisadores, os tipos de vocalizações dos cães são latidos, uivos, ganidos, rosnados, choramingo, gemidos e suspiros. Cada som pode representar uma coisa diferente. “De forma geral, latidos altos e rosnados podem estar associados à defesa de território, enquanto gemidos e choramingos podem estar associados a dor”, afirmam.

A médica veterinária Fernanda Fragata acrescenta que “o latido que te chama para brincar é um pouco mais grave”. De acordo com Beatriz Espallargas, médica veterinária especializada em comportamento animal, a vocalização é pouco utilizada por cães adultos.

Geralmente, é usada quando há uma ameaça ou quando eles se perdem uns dos outros. “Porém, devido ao convívio com os seres humanos, eles acabam usando muito este recurso, já que damos muita atenção a isso”, aponta.

*Por Laleska Diniz

Leia também

Conheça os principais cuidados para ter com os pets durante o outono

8 dicas fundamentais para viajar com cachorros

5 dicas para preparar a casa para a chegada de um animal de estimação

Colunistas