nsc
dc

Crime

Polícia prende quatro pessoas que recolheram dinheiro do assalto pelas ruas de Criciúma

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir as pessoas gritando "Deus é bom" e "estou rico" enquanto recolhem o dinheiro que ficou espalhado

01/12/2020 - 11h44 - Atualizada em: 01/12/2020 - 14h18

Compartilhe

Luiza
Por Luiza Morfim
Lucas
Por Lucas Paraizo
Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir as pessoas gritando "Deus é bom" e "estou rico" enquanto recolhem o dinheiro que ficou espalhado
Em um vídeo é possível ouvir as pessoas gritando "Deus é bom" e "estou rico" enquanto recolhem o dinheiro que ficou espalhado
(Foto: )

A Polícia Militar de Santa Catarina prendeu quatro pessoas que recolheram o dinheiro que ficou espalhado após o assalto a banco em Criciúma na madrugada desta terça-feira (01). A polícia informou que elas juntaram cerca de R$ 810 mil, quantia que foi abandonada pelos assaltantes e que ficou pelas ruas da cidade após as explosões dos cofres.

Segundo o Tenente Fiorillo da PM-SC, os quatro detidos não são naturais da cidade e até o momento ainda não se sabe se teriam ligação com o assalto. Eles seguem presos para investigação e a polícia vai tentar identificar se mais pessoas pegaram o dinheiro que foi deixado durante o assalto.

> Assalto em Santa Catarina repercute na imprensa internacional; veja

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir as pessoas gritando pelas ruas "Deus é bom" e "estou rico" enquanto pegavam as notas espalhadas pelo chão.

Mesmo que não tenham participação no roubo, as pessoas que pegaram o dinheiro no chão podem ser responsabilizadas criminalmente. A apropriação dos bens pode ser considerada um crime, assim como situações em que pessoas pegam cargas de caminhões tombados, por exemplo.

Lojas também foram saqueadas

Além do dinheiro espalhado nas ruas, algumas pessoas teriam se aproveitado do caos gerado pelo assalto para saquear lojas nos arredores da agência que foi alvo do crime. Conforme o relato de comerciantes e moradores, lojas que tiveram os vidros quebrados pelas explosões ou pelos tiros foram saqueadas após a passagem dos assaltantes.

A Polícia Militar também foi acionada para esses registros, mas ainda não há informação oficial sobre quantas lojas foram saqueadas durante a madrugada, e nem sobre o prejuízo causado.

Leia também:

Equipes policiais atuam nas buscas aos bandidos em Criciúma

Governador fala em "ação marginal" após assalto a banco em Criciúma e promete resposta

"Não sairá tão fácil da cabeça", diz prefeito de Criciúma após assalto

Assalto a banco em Criciúma exige resposta rápida das forças de segurança

"Foi como as maiores ações que acontecem no país", diz delegado sobre assalto a banco em SC

Assalto a banco em Criciúma lembra roubo no Aeroporto de Blumenau e repete onda de crimes de 2019

Colunistas