nsc

Futebol

Avaí paga parte da dívida aos jogadores depois de ser denunciado ao STJD

Clube antecipou R$ 8 milhões de receita do ano que vem e quita quase 65% da dívida imediata

30/12/2021 - 17h45 - Atualizada em: 31/12/2021 - 11h51

Compartilhe

Por Jéssica Cescon
Avaí antecipou R$ 8 milhões de reais de receitas de televisão do ano que vem para pagar salários
Avaí antecipou R$ 8 milhões de reais de receitas de televisão do ano que vem para pagar salários
(Foto: )

Depois dos torcedores avaianos serem surpreendidos com a denúncia feita por parte dos jogadores do Avaí ao STJD por conta dos salários atrasados, o clube quitou aproximadamente 65% da dívida imediata que tem com os jogadores do time principal, da base e com funcionários, na tarde desta quinta-feira (30). A informação foi confirmada em conversa com o presidente do Avaí, Francisco Battistotti e também com o presidente eleito, Júlio Heerdt, que assumirá o clube no próximo dia primeiro.

Para quitar a dívida, o Avaí antecipou R$ 8 milhões de reais de receitas de televisão do ano que vem e usou o valor sem distinção entre jogadores, ou seja, pagou parte da dívida de todos os jogadores, conforme informações do presidente Battistotti. Segundo ele, o valor é suficiente para pagar as dívidas até novembro, permanecendo ainda o mês de dezembro e décimo terceiro, além de uma parte dos direitos de imagem.

Todo o processo de antecipação de receita foi feito em conjunto pelos dois presidentes. Em conversa com o presidente eleito, Júlio Heerdt, ele garantiu que em nenhum momento o Avaí preteriu jogadores na hora de pagar e que o grupo de jogadores pode ter entendido errado a negociação, por isso insistiram na denúncia.

Segundo ele, o valor antecipado ainda não é suficiente para quitar todos os valores, mas que o fará “com toda a certeza”.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

> Giro Total: Júlio Heerdt revela perfil do novo diretor do Avaí e plano de manter futebol feminino do Kindermann

Sobre a denúncia que o Avaí enfrenta no STJD, a estratégia do presidente eleito é clara: conversar com os jogadores e convencê-los a desistir da ação, uma vez que os pagamentos vão acontecendo. No entanto, tranquilizou o torcedor: o valor que os jogadores pedem estará reservado. A tentativa é de poder negociar o pagamento para não onerar tanto assim o clube já no início do ano.

“A chance é zero de o Avaí não jogar a Série A em 2022” - Júlio Heerdt

Júlio Heerdt ainda garantiu que não haverá funcionário com salário atrasado em 2022. “A partir de janeiro, ideia é pagar religiosamente no dia 5 de cada mês. E os atrasados de 2021, conforme fluxo e possibilidade de caixa. É uma questão de honra quitar tudo. Hoje o Avaí não tem capacidade financeira, mas tem a índole de querer pagar”

Mas isso não significa que é algo simples. O presidente eleito reforçou que a dívida pode inviabilizar contratações e atrapalhar a negociação com novos jogadores. Ainda assim, disse que até a posse – que acontece no sábado, dia 1º - está trabalhando juntamente com o departamento de futebol na negociação de atletas que podem ser contratados.

Entendendo o caso

A possibilidade de perda do acesso à Série A por conta dos salários atrasados chacoalhou a torcida azurra nesta quinta-feira. A denúncia de alguns jogadores junto ao STJD repercutiu nacionalmente e colocou em dúvida o cumprimento da promessa de pagamento da dívida que já havia sido feita tanto pelo presidente Battistotti quanto pelo presidente eleito, Júlio Heerdt.

Os jogadores que entraram com a denúncia são os que não devem permanecer no Avaí e, portanto, reclamavam que não teriam prioridade nos pagamentos. No entanto, em conversa com o presidente Battistotti, desde o princípio, a ideia da gestão atual era pagar integralmente e sem distinção os salários atrasados, independentemente de serem jogadores que iriam permanecer no clube ou não. Lembrando que na dívida também constam salários de jogadores da base e de funcionários do Avaí.

Colunistas