nsc
dc

Feminicídio

Avó morre após salvar neto de tiro em Chapecó

Segundo informações da Polícia Militar, o disparo foi feito pelo pai da criança, que descumpriu medida protetiva

09/09/2021 - 15h32

Compartilhe

Diane
Por Diane Bikel
Caso está com a Polícia Civil
Caso está com a Polícia Civil
(Foto: )

Uma avó de 42 anos morreu no interior de Chapecó após tentar salvar o neto de um tiro, nesta quarta-feira (8). Segundo informações da Polícia Militar (PM), o disparo foi feito pelo pai da criança, que não teria aceitado o fim do casamento de 11 anos e descumpriu medida protetiva. O caso é tratado como feminicídio pela Polícia Civil.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O homem, de 29 anos, foi até a casa onde residia anteriormente com a família, por volta das 17h30. Na residência encontrou a ex-mulher, de 27 anos, e seu atual companheiro, o filho de 7 anos e a ex-sogra. De acordo com a equipe de polícia que esteve no local, eles estavam de mudança e retiravam alguns pertences da casa no momento da confusão. 

O ex-casal começou a discutir e o homem se retirou da residência, mas voltou atirando contra as quatro vítimas. A avó da criança foi atingida no rosto e o impacto do tiro causou um desequilibrio, que fez com que ela caísse de uma escada de 10 degraus, segundo a ocorrência. 

> Homem acusado de ser "talarico" é sequestrado e baleado em Massaranduba

> Caminhões carregados de combustíveis deixam base em Itajaí após liberação de bloqueio

A criança e a mãe, neste momento, se trancaram no banheiro da casa. O homem ainda atirou contra o atual companheiro da ex-mulher e tentou arrombar a porta do banheiro, segundo a PM. Sem sucesso, ele teria fugido do local, de acordo com a ocorrência.

> Policial civil atira para o alto para conter briga durante paralisação em Araquari; assista

O homem de 31 anos foi encaminhado ao Hospital Regional da cidade. A avó morreu antes das equipes de segurança chegarem no local. 

A medida protetiva estava ativa desde o dia 1 de setembro. O caso está com a Polícia Civil e é tratado como feminicídio, de acordo com o delegado responsável Bruno Lélis. O homem segue foragido.

*Sob supervisão de Vinicius Dias.

Leia também

Zé Trovão está no México e diz que aguarda ordens de Bolsonaro

Com bloqueio de rodovias, é necessário estocar alimentos?

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Colunistas