nsc
dc

MEDO E PAVOR

Caçada a Lázaro Barbosa entra no 11º dia; serial killer foi visto em chiqueiro

Assassino conhece a mata e é caçador, o que dificulta o trabalho da força-tarefa com mais de 200 policiais que tenta prendê-lo

19/06/2021 - 08h42 - Atualizada em: 19/06/2021 - 08h44

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Policiais buscam assassino depois de verem ele em chiqueiro
Policiais buscam assassino depois de verem ele em chiqueiro
(Foto: )

Mais de 200 policiais trabalham há 11 dias para tentar achar e capturar Lázaro Barbosa, suspeito de assassinar quatro pessoas em Ceilândia, no Distrito Federal, na quarta-feira, 9 de junho. O serial killer foi visto pelas equipes de buscas na tarde de sexta-feira (18) em um chiqueiro de uma chácara, mas fugiu pela vegetação.

> Acesse para receber notícias de Santa Catarina por WhatsApp

Uma equipe que sobrevoava a região entre o distrito de Girassol, em Cocalzinho, e Águas Lindas de Goiás, com um helicóptero, identificou Lázaro em um chiqueiro de uma região com diversas chácaras. A equipe acionou a força-tarefa policial, que estava na base de operações, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal repassadas ao G1.

Em coletiva de impresa, o secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda, contou que durante as buscas de sexta-feira chegou a avistar alguém que parecia ser o assassino, mas ele entrou em uma vala e a equipe de busca perdeu o rastro.

Ainda na noite de sexta-feira (18), uma barreira com policiais foi montada na BR-070, que dá acesso a Águas Lindas de Goiás. Os carros foram parados e vistoriados pela polícia. A zona rural também estava sendo monitorada.

> Quem é Lázaro Barbosa, o serial killer de Goiás

A movimentação intensa de policiais na região, a pé, de helicóptero, com drones e cavalaria não teve sucesso mais uma vez e Lázaro não foi capturado. Agora, a força-tarefa parte para o 11º dia de buscas pelo serial killer.

As buscas de Lázaro

Assassino em série está sendo procurado por força-tarefa com 200 policiais
Assassino em série está sendo procurado por força-tarefa com 200 policiais
(Foto: )

Lázaro também foi visto na quinta-feira (17) em um matagal. A polícia foi acionada e houve troca de tiros. Depois do confronto entre os policiais e o assassino, cães farejadores encontraram um pano ensanguentado. As forças de segurança trabalham com a possibilidade de que Lázaro foi machucado durante o embate.

> Quem são os serial killers que amedrontaram o Brasil

O assassino já teve pelo menos mais dois outros confrontos direto com a polícia. No sábado (12), o serial killer invadiu três chácaras e atirou na polícia. Dois policiais foram atingidos. Na terça-feira (15), Lázaro fez uma família de refém e enfrentou policiais. Um deles foi atingido no rosto.

O assassino está sendo procurado desde o dia 9 de junho, quando quatro pessoas de uma família em Ceilândia foram mortas. Lázaro é o principal suspeito. O "serial killer do DF" ou "Maníaco de Ceilândia", como ficou conhecido, tem passagens pela polícia e já confessou ter matado dois trabalhadores rurais na Bahia, em 2006. 

Ele também cumpriu pena por estuprar uma jovem.

O homem de 32 anos teve, em 2016, uma progressão ao regime aberto por bom comportamento. Dentro do sistema prisional, ele fez cursos relacionados à Lei Maria da Penha, ao Estatuto da Criança e do Adolescente e a drogas e dependência.

Desde 2018 Lázaro estava foragido. A busca efetiva pelo assassino com uma força-tarefa de mais de 200 pessoas começou depois do assassinato de quatro pessoas em Ceilândia. 

> Lázaro Ramos? Apresentador se confunde e erra nome de serial killer

O serial killer é natural da região, é caçador e conhece a mata, o que dificulta o trabalho dos policias. A suspeita é de que ele ande pelo curso da água, em córregos de água, estendidos por toda a região, para não deixar rastros ou cheiro.

Durante os 11 dias, Lázaro permaneceu a maior parte do tempo se escondendo em mata fechada e só saiu para roubar comida nas casas no período da noite, quando a visualização é prejudicada. Segundo a polícia, o assassino já invadiu ao menos 11 propriedades.

*Com informações de G1 e Metrópoles

Leia também

Formação de ciclone traz chance de chuva forte para SC

Briga entre ocupantes de lanchas e jet skis em SC será investigada

Grávida morta pelo ex tinha registrado ameaças na polícia

Colunistas