nsc
dc

Alerta

Caravelas aparecem em ao menos 13 praias de Santa Catarina

Se entrar em contato com a pele, animal pode causar graves queimaduras e alergias

09/02/2020 - 11h16 - Atualizada em: 08/01/2021 - 10h57

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Animais têm sido vistos em várias praias do Litoral Norte
Animais têm sido vistos em várias praias do Litoral Norte
(Foto: )

Quem frequenta o litoral catarinense precisa ficar atento: ventos trazem caravelas – colônia de animais semelhante à água-viva – para as praias da região desde o fim da semana passada. Elas são coloridas e chamam a atenção quando param na areia, mas perigosas se tocadas por humanos.

> Infográfico: conheça as perigosas caravelas, que invadiram o Litoral Norte de SC

As caravelas, que podem causar queimaduras de até 3º grau e grave alergia ao entrar em contato com a pele, invadiram praias de Penha, Navegantes, Bombinhas, Itapoá, Balneário Camboriú, Florianópolis e Palhoça. As informações dos locais constam no aplicativo Praia Segura, do Corpo de Bombeiros de SC, que indica diariamente onde há presença de águas-vivas e caravelas.

Uma caravela encontrada em praia de Santa Catarina
Em 2020 o atendimento com àguas-vivas aumentou em 200%
(Foto: )

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros Militar, nos três últimos meses de 2020 houve um aumentos de 200% nos atendimentos envolvendo águas-vivas. Segundo o tenente Douglas Machado, responsável pela região de Balneário Camboriú, acidentes envolvendo esses animais são comuns.

— Isso ocorre diariamente. O nosso alerta é para que as pessoas redobrem o cuidado, porque a quantidade de águas-vivas e caravelas está maior — alerta.

> Praias de SC registram mais de 800 queimaduras ao dia por águas-vivas

Diferente das águas-vivas, que nadam, as caravelas se movimentam com os ventos. Com o verão chegando as condições para que as caravelas apareçam nas praias do estado ficam ainda mais fortes. Um projeto do Departamento de Ecologia e Zoologia da instituição realiza o monitoramento de caravelas e águas-vivas.

Caravela encontrada na Barra da Lagoa
Caravela encontrada na Barra da Lagoa
(Foto: )

Em caso de contato, o indicado é procurar um posto de guarda-vidas o mais rápido possível. As unidades dos guarda-vidas têm frascos de vinagre, que é o tratamento imediato indicado para as queimaduras. Em casos mais graves, a pessoa pode ter uma crise alérgica e ficar sem respirar. No fim de 2019, um pescador teve choque anafilático após entrar em contato com uma caravela. Ele foi socorrido com o auxílio do helicóptero Arcanjo 03.

> "Dragão azul", molusco com mesma toxina da água-viva, aparece no Litoral Sul de SC

Para evitar acidentes ou minimizar os sintomas, os Bombeiros recomendam alguns cuidados como observar a presença da bandeira lilás, se afastar dos animais marítimos, assim que perceber a sua presença, avisar guarda-vidas, não coçar ou esfregar o local machucado, não usar água doce para limpar a região queimada, para evitar que a toxina se espalhe, lavar com água do mar, tirar os tentáculos com cuidado, procurar uma guarita de guarda-vidas, aplicar vinagre de uso doméstico na zona afetada e em caso de uma reação alérgica, o encaminhamento deve ser feito imediatamente a uma unidade hospitalar para devido tratamento.

Praias com registro de águas-vivas e caravelas

Praia de Itapoá

Praia do Quilombo (Penha)

Praia Gravatá (Navegantes)

Praia Central (Balneário Camboriú)

Praia do Estaleiro (Balneário Camboriú)

Praia de Bombinhas (Bombinhas)

Praia de Bombas (Bombinhas)

Praia dos Padres (Bombinhas)

Praia Lagoinha da Ponta das Canas (Florianópolis)

Praia de Moçambique (Florianópolis)

Praia da Barra da Lagoa (Florianópolis)

Praia da Pinheira (Palhoça)

Praia da Guarda do Embaú (Palhoça)

Colunistas