nsc
dc

Decisão

Caso Henry: Justiça decreta prisão preventiva de Jairinho e Monique

Mãe e padrasto do menino vão responder por tortura e homicídio qualificado com emprego de tortura

07/05/2021 - 16h24 - Atualizada em: 07/05/2021 - 16h38

Compartilhe

Metrópoles
Por Metrópoles
De acordo com decisão da juíza, eles representam risco para a paz social de estiverem soltos
De acordo com decisão da juíza, eles representam risco para a paz social de estiverem soltos
(Foto: )

A juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, recebeu a denúncia do Ministério Público e decretou a prisão preventiva de Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, (sem partido), e de Monique Medeiros. O padrasto e a mãe do menino Henry Borel, de 4 anos, vão responder por tortura e homicídio qualificado da criança com emprego de tortura.

> Receba notícias de SC por WhatsApp

A magistrada ressaltou na decisão, nesta sexta-feira (7), que os fatos relatados no processo causaram forte clamor público.

“Para além da revolta generalizada que os apontados agentes atraíram contra si antes mesmo de serem denunciados pelo órgão com atribuição para tal, releva assinalar que o modus operandi das condutas incriminadas reforça o risco a que estará exposta a ordem pública, bem como a paz social, se soltos estiverem os ora acusados. As circunstâncias do fato, pois, estão a reclamar a pronta resposta do Estado com a adoção da medida extrema provisória, até como forma de aplacar a nefasta sensação de impunidade”, escreveu a magistrada.

Leia mais no Metrópoles, parceiro do NSC Total.

* Adriana Cruz

Colunistas