nsc
    dc

    Pandemia

    Casos de Covid-19 em turistas crescem 142% em SC após festas de fim de ano

    Após o Natal e o Ano-Novo, número de pessoas infectadas que não moram no Estado teve salto

    12/01/2021 - 14h50 - Atualizada em: 12/01/2021 - 19h52

    Compartilhe

    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    Praias em SC coronavírus
    Praias catarinenses registraram aglomerações nas últimas semanas
    (Foto: )

    O número de turistas diagnosticados com o coronavírus em Santa Catarina mais do que dobrou desde o Natal. Do dia 24 de dezembro para esta segunda-feira (11), os casos ativos entre não residentes no Estado tiveram um salto de 142%, passando de 291 para 706 pacientes com a doença e, portanto, em condições de transmitir o vírus.

    > Anvisa decide no domingo sobre aval para vacinas do Butantan e Fiocruz contra Covid-19

    > Hospital privado de Florianópolis já sente primeiro impacto das festas com coronavírus

    Os dados foram levantados pela reportagem do Diário Catarinense com base nas informações oficiais divulgadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Além do detalhamento dos casos ativos de Covid-19 por municípios em SC, o órgão contabiliza os exames positivos de pessoas que declararam morar em outros estados, mas receberam o diagnóstico em SC.

    O aumento corresponde apenas a pacientes brasileiros que moram em outros estados, com nenhum estrangeiro na conta de casos ativos até o momento. Não é possível afirmar se são pessoas que se contaminaram em Santa Catarina ou se já chegaram ao Estado com o coronavírus.

    Conforme o balanço desta segunda (11), há 19,1 mil casos ativos de Covid-19 em SC. Os pacientes de outros estados representam quase 4% do total, uma fatia que é menor apenas do que os casos nas três maiores cidades catarinenses: Florianópolis, Joinville e Blumenau.

    > Justiça manda interditar Shed e La Belle em Balneário Camboriú e determina multa de R$ 400 mil

    Para o infectologista e coordenador do curso de Medicina da UFSC, Aroldo de Carvalho, o crescimento já pode ser um reflexo das festas de fim de ano e dos registros de aglomerações em Santa Catarina no período entre Natal e Ano-Novo. Na última semana, o total de casos ativos em SC passou de aproximadamente 15 mil para 19 mil.

    — A média para a pessoa começar a apresentar sintomas é geralmente entre cinco e oito dias. Digamos que a pessoa se infectou 10 dias atrás, até sentir os sintomas e fazer um exame, tem esse tempo até aparecer na estatística — explica Carvalho.

    > ‘Vamos ser vacinados e vamos continuar tendo que usar máscaras’, diz pesquisadora da Fiocruz

    O médico aponta também que, geralmente, apenas na segunda semana de contaminação a pessoa passa a apresentar os sintomas mais graves da Covid-19. Por isso, o impacto das infecções aparece inicialmente nos números de casos ativos e confirmados, e depois conforme o agravamento e do perfil dos pacientes nas estatísticas de ocupação das UTIs e até mesmo de mortes.

    — É muito pouco provável que alguma pessoa comece com sintoma grave já no início do quadro. O agravamento vai acontecer na fase inflamatória da doença, geralmente na segunda semana — conclui Carvalho.

    Leia também

    Cinismo das festas irregulares mancha imagem do setor de eventos e pune quem segue as regras

    Médico cita "panorama assustador" da Covid-19 e cobra novas restrições em Santa Catarina

    Três razões para Santa Catarina decretar medidas restritivas contra o coronavírus antes da vacinação

    Opinião: descontrole em SC prende em casa quem segue as regras contra Covid-19

    Colunistas