Nos últimos dias, relatos sobre um surto de pneumonia entre crianças na China deixaram a população mundial sob tensão. O alerta foi emitido na terça (21) pelo sistema ProMED, da Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas, que já relatou o aparecimento de casos como os de covid-19, zika e ebola.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Na quinta-feira (23), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou ter pedido oficialmente à China mais informações sobre os casos. O surto ocorre em meio ao aumento na incidência de doenças respiratórias no país, os quais as autoridades locais associam a alta à suspensão de restrições contra a Covid-19 e ao aumento na circulação de agentes infecciosos já conhecidos, como o vírus sincicial respiratório (VSR) e SARS-CoV-2.

A seguir, o NSC Total reúne as informações mais recentes sobre a doença misteriosa e o que dizem as autoridades.

Tudo o que se sabe sobre o surto de pneumonia na China

Quando

Desde outubro, o norte da China registra um aumento em doenças respiratórias em comparação com o mesmo período nos três anos anteriores. Em 13 de novembro, autoridades chinesas da Comissão Nacional de Saúde relataram maior incidência de doenças como gripe, Covid-19, bronquiolite infantil e Mycoplasma pneumoniae (uma infecção bacteriana comum que geralmente afeta crianças mais novas).

Continua depois da publicidade

Em 21 de novembro, o sistema ProMED emitiu um alerta expressando “preocupação” e também cobrando “informações definitivas” sobre a extensão da doença. O relatório cita uma reportagem publicada pelo portal de notícias taiwanês FTV News e informa que hospitais das províncias de Pequim e Liaoning estão “sobrecarregados com crianças doentes”.

No dia seguinte, 22 de novembro, a OMS informou que pediu “informações detalhadas” às autoridades chinesas sobre a doença, incluindo resultados de exames de pacientes.

Onde

O ProMED informa que os relatos em Pequim, capital do país, e a província de Liaoning apontam um surto “generalizado” em “várias áreas da China”, já que a distância entre as localidades é de quase 800 quilômetros e a região é a mesma, Norte da China.

“Não está claro quando este surto começou, pois seria incomum que tantas crianças fossem afetadas tão rapidamente”, diz o texto.

Continua depois da publicidade

Sintomas

De acordo com o relato do ProMED, os pacientes apresentam febre, mas não tosse ou outros sintomas. “Mas em alguns casos podem ser observados nódulos pulmonares na radiografia de tórax”, diz o epidemiologista Paul Hunter, professor da Universidade East Anglia, no Reino Unido, em comunicado sobre o tema.

Vítimas

O relatório não inclui a doença em adultos e sugere que a exposição ocorre nas escolas. “Atualmente, não sabemos a faixa etária mais afetada, mas parece que as crianças em idade escolar são certamente afetadas”, diz o epidemiologista Paul Hunter. Ainda não foram relatadas mortes.

Leia também

Mãe em surto psicótico leva filha de 9 anos para realizar furtos de carros na Grande Florianópolis

Segunda melhor fruta do mundo tem produção em SC concentrada em apenas duas cidades

Destaques do NSC Total