nsc
nsc

Economia

Como a guerra entre Rússia e Ucrânia afeta os investimentos?

Conflito entre os países europeus causa oscilações nas bolsas de valores, além da escassez de oferta de alguns produtos

14/03/2022 - 15h46 - Atualizada em: 14/03/2022 - 16h46

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Guerra Rússia x Ucrânia - Warren - NSC - Impactos na economia
Conflito entre os países europeus afeta diversos setores produtivos em nível global.
(Foto: )

Desde a invasão da Rússia na Ucrânia no dia 24 de fevereiro, as dúvidas sobre as reais motivações e a durabilidade do conflito ainda permanecem. Visando estabelecer uma zona de influência na região onde era localizada a antiga União Soviética, o presidente russo, Vladimir Putin, afirma haver uma identidade em comum entre os povos de ambos os países, e pede o reconhecimento de regiões separatistas da Ucrânia que são pró-Rússia como áreas independentes. Os anseios do país vizinho do gigante russo de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) também foram apontados pelo Kremlin como a gota d’água para a situação – visto a extensão fronteiriça na região.

O fato é que desde antes da invasão, os mercados já estavam cautelosos com as falas de Putin e a escalada de tensões vem derrubando os mercados. Com as sanções econômicas impostas pelo ocidente à Rússia, a aversão ao risco está mais acentuada. Na segunda-feira do dia 7, por exemplo, as bolsas europeias chegaram ao menor nível em quase um ano.

Gigantes mundiais anunciaram a suspensão de operações no país, entre elas Visa, Mastercard, Boeing, Ford, FedEx, Audi, McDonald’s, entre muitas outras. Bancos russos foram excluídos do SWIFT, uma rede global de meios de pagamentos, o que tende a dificultar transações internacionais.

Mas como isso pode afetar a economia, de forma geral?

Impactos na economia global e brasileira

A escalada nos preços de commodities – principalmente petróleo e gás – afeta diretamente a inflação. Com a pandemia do coronavírus e o represamento de atividades, a volta dos serviços, a escassez de oferta e descontinuidade de cadeias produtivas – como as de semicondutores – vem afetando economias por todo o mundo.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a inflação medida em 12 meses está em 7,5%, de acordo com dado divulgado em fevereiro. O Federal Reserve (FED), o banco central dos Estados Unidos, já prometeu elevar a taxa de juros. O presidente do FED, Jerome Powell, sinaliza para uma elevação dos Fed-funds (os juros que balizam a economia americana, como se fosse a Selic dos EUA) em breve.

> Onde investir em 2022? Veja algumas opções

No Brasil, as expectativas para inflação continuam em alta. De acordo com o boletim Focus divulgado na segunda-feira (14), com estimativas de especialistas consultados pelo Banco Central sobre indicadores como Produto Interno Bruto (PIB), inflação e Selic, a expectativa é de um IPCA neste ano de 6,45% e Selic em 12,75%. No momento, o indicador divulgado em fevereiro aponta uma alta em 12 meses de 10,38%.

Com a inflação em alta, os países aumentam a taxa de juros como mecanismo de controle inflacionário. Na contrapartida, essa política monetária contracionista tende a diminuir o PIB – preocupação não somente de Brasil e Estados Unidos, mas também do Banco Central Europeu e outras autoridades monetárias mundo afora.

Guerra impacta nas commodities

A Rússia é uma grande produtora de petróleo e gás natural – e a Europa depende dessas commodities energéticas russas. O aumento nas tensões, com possibilidade de sanções também nessa área, elevou os preços dos barris de petróleo a níveis recorde. De acordo com a Rússia, os preços poderiam subir para mais de U$300 o barril se países da União Europeia e Estados Unidos banirem as importações.

O ouro, que é considerado um “refúgio” em tempos de incerteza, também teve alta expressiva nos preços desde que a guerra teve início, no final de fevereiro. Porém, a sinalização de uma possível resolução diplomática para o conflito fez com que o preço do metal sofresse uma redução nesta segunda-feira. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fechou a segunda a US$1960,80 por onça-troy, baixa de 1,22%.

Outras commodities também dispararam, como cobre, trigo, milho, soja e até o café. Segundo relatório da Warren desenvolvido pela área de análise, a decisão da Rússia de invadir a Ucrânia impacta diretamente a economia real, visto que a Ucrânia é um dos maiores exportadores mundiais de grãos e oleaginosas. Ainda de acordo com os analistas da Warren, a Rússia e a Ucrânia são responsáveis por 29% das exportações mundiais de trigo, 19% de milho e 80% de óleo de girassol. Se proibirem as importações do petróleo russo, no curto prazo, a tendência é de que as commodities agrícolas, metálicas e energéticas continuem subindo.

Agroindústria - Investe Mais - NSC
Agroindústria sofre grande impacto com o conflito entre os países europeus.
(Foto: )

Em meio à cautela, oportunidades?

Como a duração do conflito e o peso das sanções ainda são incertos, os impactos nos mercados globais também são. Os investidores brasileiros já enfrentaram uma queda recente nas ações – que agora são consideradas baratas por muitos especialistas internacionais. Também não se sabe em que medida as sanções às empresas russas – muitas foram retiradas das listas de bolsas de valores fora do país – podem atrair capital para o Brasil.

> Suas ações estão em queda? Veja o que fazer em momentos de crise

Os investidores, nesse momento, precisam verificar qual a sua tolerância a risco – avaliando seu perfil, do mais conservador ao mais agressivo. Caso grandes flutuações não tirem o sono durante a noite, ótimo. No caso de investidores mais avessos ao risco, a renda fixa ficou mais atrativa com a alta da Selic, que ainda nesta semana passará por outra atualização. Do lado das ações, empresas relacionadas a commodities podem ser beneficiadas dessa crise, como de petróleo e minério de ferro. O setor agrícola também merece um olhar atento durante o período de elevações de preços, assim como fundos de investimento em cadeias produtivas agroindustriais, os Fiagros.

O importante é manter a calma, avaliar seu portfólio com quem entende do assunto e ter muita paciência durante esse cenário de incertezas.

E para contar com uma carteira diversificada, que passa por um rebalanceamento automático de investimentos a cada novo aporte, conheça a Warren e abra sua conta gratuitamente.

Leia também

NFTs emergem como tendência no mercado financeiro

Reserva de emergência: investimentos de renda fixa são alternativos à poupança

Colunistas