nsc
dc

Grupo Globo

Entenda o que são conglomerados e como a união de marcas diminui riscos dos negócios

Atuação multissetorial amplia escala e tem se mostrado perenes em meio à turbulência do mercado brasileiro

15/05/2021 - 09h00

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Nissan é uma das marcas fortes que o Grupo Globo representa em SC
Nissan é uma das marcas fortes que o Grupo Globo representa em SC
(Foto: )

Diversificar o portfólio é uma forma de reduzir riscos. Em um ambiente de incertezas econômicas, a máxima dos investimentos “não colocar todos os ovos na mesma cesta” também vale para os empreendedores. Por isso, conglomerados com atuação multissetorial e holdings – empresas que detém a maior parte das ações ordinárias de outras empresas, muitas vezes de outros setores – têm se mostrado resilientes e perenes em meio à turbulência do ambiente de negócios brasileiro. 

Os conglomerados multissetoriais são a marca registrada da economia sul-coreana, chinesa e japonesa, o chamado “Modelo Asiático”.

> Três municípios catarinenses estão entre os 100 melhores para empreender

Os conglomerados são empresas que se envolvem em várias atividades distintas e possivelmente não relacionadas. O objetivo principal desse modelo de atuação é garantir a geração de receita do grupo como um todo, permitindo a sequência das operações, mesmo que parte dos negócios esteja passando por um momento de dificuldades.

Ainda que em Santa Catarina os indicadores econômicos apresentem, historicamente, níveis melhores do que no resto do país, atuar em mais de um ramo é uma forma de se destacar no mercado, ampliar escala e demonstrar uma certa prudência em relação aos ativos.

35 anos de sucesso

Entre os exemplos de sucesso de conglomerados multissetoriais catarinenses está o Grupo Globo. Assim como o jornal Diário Catarinense, o Grupo alcança 35 anos de sucesso no mercado. A história do conglomerado iniciou na cidade de Florianópolis, onde atendia como Marvel Veículos e operava no sistema multimarcas. 

Com sucesso rápido, logo o Grupo Globo passou a investir em outros ramos. Em 1992, foi criado o Consórcio Globo, com planos de carta de crédito para aquisição de automóveis, imóveis, motos e serviços.

A cada ano, a gestão ampliava a atuação para outros municípios, como Pelotas, no Rio Grande do Sul, Lages, Curitibanos, Itajaí, Criciúma, Tubarão, Joinville, Palhoça, além de Curitiba e São José dos Pinhais, os dois últimos no Paraná. Em 2007, o conglomerado criou a financeira GolCred, em Florianópolis.

Em 2009, para garantir a solidez e o empreendedorismo, o Grupo Globo entrou no mercado imobiliário com a Globo Construtora e Incorporadora. Em 2017, o Grupo inaugurou a primeira Concessionária Nissan no Padrão Mundial em uma Capital do Brasil, sendo essa uma das 50 Melhores concessionárias Nissan do Planeta.

Hoje, o Grupo Globo atua no mercado de varejo automotivo, construção, seguros e consórcios, mantendo a referência em qualidade e variedade no portfólio. Possui um amplo atendimento com grandes marcas como Fiat, Ford, Nissan, Renault e Jeep, com 23 concessionárias distribuídas nos estados do Paraná e Santa Catarina. 

Com sede administrativa na capital catarinense, o Grupo visa ser referência nacional na comercialização de veículos, consórcios e na prestação de serviços com excelência e qualidade.

Além da atuação de sucesso nos negócios, valorizar a comunidade local e promover a responsabilidade social, ambiental e econômica estão entre os focos do Grupo. Para isso,o grupo participa de projetos para doação de alimentos para comunidades carentes e colabora com igrejas para aquisição de veículos para sorteios que recolhem verbas para a construção dos templos. Ainda, doou dois veículos para times de futebol da capital, que foram transformados em ambulâncias do Avaí e do Figueirense.

Quer saber mais sobre o Grupo Globo? Acesse o site oficial!

Acesse o canal DC 35 anos e confira conteúdos especiais.

Leia também

Pronampe pode emprestar até R$ 28 bilhões na próxima fase, estima Jorginho Mello

Autor de ataque em Saudades escolheu creche pela fragilidade das vítimas

Cuidados primários com a saúde podem ser feitos sem sair de casa

Colunistas