nsc
santa

AMVE

Vale Europeu é referência em herança histórica e cultural

Associação de municípios destaca o potencial cultural, turístico e econômico da região, colonizada por imigrantes no século 19

24/09/2021 - 09h44 - Atualizada em: 24/09/2021 - 15h47

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
vale europeu
O potencial cultural do Vale Europeu se evidencia em diversas nuances, desde a arquitetura antiga até o modo de viver
(Foto: )

Quem chega ao Vale Europeu, reconhece na hora que há algo de muito particular nesta parte de Santa Catarina. Protegida por uma geografia privilegiada, a região é cercada por montanhas em vários tons de verde, para onde quer que se olhe. Mesmo nos centros das cidades maiores, tem sempre um pedaço de Mata Atlântica à vista, lembrando que a natureza não economizou em majestade nesta região.

Mas a marca registrada do local vai além das belezas naturais. O Vale Europeu é referência em preservação histórica e cultural, qualidade de vida, indústria forte e desenvolvimento social e econômico. Estamos falando das 14 cidades (Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Blumenau, Botuverá, Brusque, Doutor Pedrinho, Gaspar, Guabiruba, Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio e Timbó) integradas pela Associação de Municípios do Vale Europeu (Amve), que representa uma população de mais de 820 mil habitantes. A instituição congrega as administrações municipais e defende os interesses da região em outras esferas governamentais.

Aliás, destacar o Vale Europeu é um novo posicionamento da entidade, que até o mês passado respondia por Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi). A mudança é estratégica e tem como objetivo destacar uma característica regional que já é reconhecida em todo o país e reforçar ainda mais as tradições culturais. A nova marca, lançada no dia em que a associação comemorou 52 anos, 2 de agosto, põe mais luz no potencial cultural, turístico e fortalece este traço em comum entre os 14 integrantes da associação.

História viva

A colonização europeia – especialmente alemã e italiana –, que aportou à região na segunda metade do século 19, imprimiu nestes municípios marcas que seguem vivas. Desde heranças concretas, como a arquitetura antiga e a gastronomia típica, até o modo de ser e de viver. É nesta mistura de elementos culturais próprios e natureza exuberante que mora o potencial cultural e turístico do Vale Europeu. Vai das animadas festas tradicionais às estradinhas rurais perfeitas para o cicloturismo, passa pela rara arquitetura enxaimel e também pelo turismo de aventura nas corredeiras dos rios.

vale europeu
Entre os diversos atrativos culturais e históricos do Vale Europeu, a arquitetura enxaimel se destaca
(Foto: )

As particularidades vão além dos atributos materiais e imateriais e alcançam áreas bem pragmáticas: o Vale é destaque em índices de desenvolvimento econômico e social. O que o faz ser referência em qualidade de vida, com rede hospitalar composta por 12 hospitais e investimentos constantes em saneamento básico e estrutura viária.

Desenvolvimento econômico

A região tem vocação empreendedora desde a chegada dos primeiros imigrantes. Hoje, a indústria ocupa uma fatia correspondente a 67% de participação na economia, com destaque para a área têxtil. O setor é responsável por 80% dos postos de empregos. 

No campo da inovação, o avanço na área de tecnologia da informação tem atraído empresas e investidores. Este potencial econômico é alimentado pela oferta de mão de obra qualificada, uma consequência do investimento em educação: no Vale Europeu estão 12 faculdades e universidades, três institutos federais e dois centros de inovação.

Este modo de operar é comum a vários municípios da região, conectados também geograficamente e por traços culturais. A missão da Amve é justamente unir e representar estas potências, desde 1969. Ao trazer coesão e intercooperação entre as cidades, a associação tem colaborado para ações assertivas e integradas, que contribuem para o crescimento do Vale.

> Documentário europeu celebra Hans Broos, arquiteto que deixou marcas em SC

A entidade foi fundamental em muitas conquistas nas últimas cinco décadas e traz na bagagem o envolvimento em ações como a elaboração de Plano Diretor para os municípios, o planejamento de uma política de saneamento básico para a região, estudo técnico socioambiental e constante investimento em aperfeiçoamento e modernização da gestão municipal. E a consequência para o trabalho investido em assessoramento de administrações municipais é o alto índice de aprovação da prestação de contas das prefeituras pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Construindo o futuro

Os planos para o futuro prevêem um Vale Europeu com melhor estrutura viária e ainda mais segurança. Na pauta da Amve hoje está a implantação da Ferrovia da Integração, o término da duplicação da BR-470 e recursos para a manutenção de rodovias, além de reivindicações para as áreas da saúde, educação e mobilidade urbana.

Integração segue sendo a palavra de ordem para o Vale Europeu, que tão bem congrega as facilidades dos centros urbanos e a beleza das zonas rurais, a história preservada e as iniciativas de inovação. E provavelmente o principal: integra a cultura dos primeiros imigrantes às necessidades das novas gerações que ainda passarão por aqui.

Acesse o site da Amve e saiba mais sobre essa região tão única de Santa Catarina.

Confira o especial Vale de Transformações em comemoração aos 50 anos do Santa.

Leia também

Entenda como a idade pode influenciar os seus investimentos

Clubes recreativos aliam qualidade de vida, lazer e convívio em comunidade

Confira 5 tendências da arquitetura que aliam beleza e sustentabilidade

Colunistas