O fenômeno El Niño deve afetar o clima no mundo até pelo menos abril de 2024. Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM) graças ao fenômeno, 2023 se encaminha para ser considerado o ano mais quente da história, e 2024 deve ser ainda pior.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O pico do El Niño está previsto para novembro, dezembro e janeiro, mas o desenvolvimento do fenômeno já é sentido em 2023. Antes, o ano de 2016 foi o mais quente registrado. O recorde é uma soma de vários fatores: El Niño forte e a alta nas emissões de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

— Ano que vem será ainda mais quente. Isso é uma consequência clara da contribuição crescente das concentrações de gases do efeito estufa provenientes de atividades humanas —, diz o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

O que esperar para o verão em Santa Catarina

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

O secretário da OMM ainda alerta que eventos climáticos extremos como ondas de calor, secas, incêndios florestais e enchentes serão mais comuns em algumas regiões e podem gerar maiores impactos.

Segundo o observatório europeu Copernicus, outubro de 2023 quebrou um recorde de temperatura: foi o mais quente já registrado em nível mundial. A temperatura média do ar foi de 15,3°C, 0,4°C acima do outubro mais quente anterior, o de 2019.

El Niño intenso

Segundo o meteorologista da Epagri/Ciram, Marcelo Martins, o El Niño este ano é considerado forte, caracterizado pelo aumento na temperatura da superfície do Oceano. No trimestre de agosto, setembro e outubro, essa temperatura ficou 1,5°C acima da média.

Continua depois da publicidade

Além do calor, outra característica do El Niño são as chuvas intensas, como as de outubro em Santa Catarina. Durante mais de 10 dias, o Estado foi assolado por enchentes consecutivas.

SC e os Extremos do Clima: Onde tudo acontece

Em outubro, Santa Catarina registrou mais de 400 milímetros de chuva, praticamente o dobro do esperado para o mês, que era de 250 milímetros em algumas regiões, como o Oeste.

No dia 31, o governo do Estado reconheceu situação de calamidade pública em quatro cidades: Laurentino, Rio do Oeste, Rio do Sul e Taió. Pelo menos 3,6 milhões de pessoas foram atingidas direta ou indiretamente pelas enchentes, o equivalente a 47% da população catarinense, e 153 municípios declararam situação de emergência (52% do total de cidades do Estado e 45% do PIB estadual).

Confira no infográfico como funciona o El Niño

Com informações do g1.

Leia mais

Sob influência do El Niño, novembro terá chuva acima da média e episódios de frio em SC

Temperatura escala e pode extrapolar os 30°C em SC nesta quarta

Publicidade

Além de muita informação relevante, o NSC Total e os outros veículos líderes de audiência da NSC são uma excelente ferramenta de comunicação para as marcas que querem crescer e conquistar mais clientes. Acompanhe as novidades e saiba como alavancar as suas vendas em Negócios SC

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total