nsc
    dc

    Histórico

    Enfermeiro de Florianópolis é primeiro a ser vacinado contra Covid-19 em SC

    Júlio César Vasconcellos de Azevedo tem 55 anos e trabalha no Hospital Celso Ramos, na Capital

    18/01/2021 - 16h37 - Atualizada em: 19/01/2021 - 08h35

    Compartilhe

    Jean
    Por Jean Laurindo
    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    O enfermeiro Júlio César Vasconcellos de Azevedo
    O enfermeiro Júlio César Vasconcellos de Azevedo
    (Foto: )

    A primeira dose da vacina contra o coronavírus foi aplicada em Santa Catarina nesta segunda-feira (18). O enfermeiro Júlio César Vasconcellos de Azevedo, 55 anos, morador de Florianópolis, foi o primeiro a receber a vacina em solo catarinense às 17h36min. Ele trabalha há 28 anos no Hospital Celso Ramos, na Capital, e representou no ato simbólico os profissionais de saúde que batalham na linha de frente contra o coronavírus.

    > Confira a quantidade de vacinas contra a Covid-19 destinada a cada município de Santa Catarina

    O início da vacinação ocorreu no Auditório do Instituto de Cardiologia do Complexo Hospitalar de São José, na Grande Florianópolis. O momento histórico marcou o início da imunização contra a doença que já matou quase 6 mil pessoas no Estado.

    O enfermeiro disse que no trabalho na linha de frente pode ver o sofrimento de pacientes e familiares e pediu para que todos tomem a vacina quando ela estiver disponível:

    — Vocês não sabem como é ruim ver as pessoas internadas, com falta de ar, viradas de barriga para baixo para poder respirar melhor, quando são entubadas. Que as pessoas pensem nos seus pais, nos seus "vôzinhos" em casa para que tomem a vacina em nome do amor.

    Depois de Júlio, o governo do Estado vacinou mais dois representantes dos grupos prioritários que integram a fase 1 do plano de imunização. Kerexu Yxapyry, gestora ambiental e liderança da terra indígena Morro dos Cavalos, em Palhoça, representou a população indígena, enquanto João de Jesus Cardoso, 81 anos, representou os idosos que residem em instituições de longa permanência. João é morador de São José.

    — A minha sensação é de liberdade. Passamos um ano presos e com a incerteza de saber como chegaríamos onde chegamos. Quero agradecer à sabedoria e inteligência da ciência, e à união de todos os povos para trazer a SC a vacina contra o coronavírus — disse a indígena Kerexu Yxapyry após receber a dose.

    A enfermeira Iula Luana Bastos, gerente de imunização da prefeitura de São José, foi a responsável por aplicar a primeira vacina contra covid-19 em Santa Catarina. Envolvida nas reuniões que tentavam organizar o início da vacinação no município ainda nesta segunda-feira, ela recebeu o convite para partir do ato simbólico da secretária de Saúde do município, meia hora antes da cerimônia.

    > Veja fotos e vídeos da vacinação contra a Covid-19 em SC

    — Para nós da vigilância epidemiológica é uma emoção muito grande. Acompanhamos desde o início a questão da pandemia na cidade e agora vivenciamos um momento histórico de viabilizar a vacina para a população e aos poucos voltarmos à vida normal — disse a enfermeira.

    O início oficial da campanha de vacinação contra a covid-19 em Santa Catarina será nesta terça-feira, quando os municípios começarão a receber as doses enviadas pelo governo estadual. SC recebeu 144 mil doses da CoronaVac por volta do meio-dia desta segunda, como parte do primeiro lote de 6 milhões de doses repartidas pelo Ministério da Saúde entre todos os estados.

    Keruxu Yxapyry vacinada
    Keruxu Yxapyry foi vacinada representando a população indígena de SC
    (Foto: )

    O governador Carlos Moisés afirmou que a tendência é que o Estado "passe 2021 vacinando", e lembrou da necessidade de que as medidas sanitárias de distanciamento e uso de máscaras continuem sendo seguidas.

    — Hoje é um dia de alegria, nós acreditamos na ciência. Acreditamos no trabalho desenvolvido pelos pesquisadores. Nós não temos remédio, mas temos na vacina a esperança de dias melhores para 2021 e 2022 — destacou.

    João de Jesus Cardoso, de 81 anos
    João de Jesus Cardoso, de 81 anos, mora em uma instituição de longa permanência em São José
    (Foto: )

    Leia também:

    Vacina contra a Covid-19: quem pode ou não tomar

    Entenda como funciona uma vacina

    ‘Vamos ser vacinados e vamos continuar tendo que usar máscaras’, diz pesquisadora da Fiocruz

    Ânderson Silva: Vacinas no Brasil chegam para salvar vidas e sepultar tratamento precoce ineficaz

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas