O ex-primeiro-ministro da Holanda, Dries van Agt, e a esposa dele, Eugenie, morreram juntos por eutanásia dupla na Holanda. Os dois tinham 93 anos e ele sofria sequelas de uma hemorragia cerebral há cinco anos.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O casal morreu de mãos dadas em um hospital de Nijmegen, no leste do país, na semana passada. Segundo o portal g1, a informação foi repassada pela The Rights Forum, uma fundação pró-Palestina fundada por van Agt.

Van Agt governou a Holanda entre 1977 e 1982. Ele sofria com sequelas de uma hemorragia cerebral que teve em 2019. Conforme a fundação, a esposa teria optado por não viver sem o marido.

O procedimento adotado pelo ex-premiê é permitido na Holanda. No entanto, há condições como o fato de a pessoa estar em sofrimento, sem perspectiva de alívio e tenha o desejo de morrer, tudo certificado por pelo menos dois médicos.

Continua depois da publicidade

O país já teve 116 eutanásias duplas desde 2022. Apesar disso, o método ainda é considerado algo raro.

Van Agt e Eugenia eram casados há 70 anos. Eles morreram assistidos por médicos em um hospital na cidade de Nijmegen, local em que moravam.

Leia também

Exagerou no Carnaval? Especialista dá dicas de como superar a ressaca e enfrentar o calorão

Quem são os 10 bilionários que construíram fortunas mesmo sendo meros empregados

Concurso Nacional Unificado fecha inscrições com 2,6 milhões de candidatos

Destaques do NSC Total