nsc
hora_de_sc

Cuidado

Florianópolis registra 4 baleias-jubarte presas em redes de pesca em 5 dias; 2 morreram

De 14 casos de emalhes de baleias registrados no Brasil em 2021, nove foram em Santa Catarina

15/06/2021 - 15h05 - Atualizada em: 15/06/2021 - 15h07

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Baleia-jubarte foi solta de rede de pesca no Pântano do Sul
Baleia-jubarte foi solta de rede de pesca no Pântano do Sul
(Foto: )

Quatro baleias-jubarte foram encontradas presas em redes de pesca em Florianópolis em cinco dias. Duas já estavam mortas, enquanto as outras foram desmalhadas nesta terça-feira (15) pelos profissionais que fazem parte do Protocolo de Encalhe e Desenredamento de Baleias da APA da Baleia Franca.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A equipe foi acionada na noite de segunda-feira (14) para atender o caso de uma baleia enredada próximo à Praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha de Santa Catarina, e o Corpo de Bombeiros colocou boias para sinalizar o local. Na manhã desta terça-feira (15) a Polícia Militar Ambiental localizou o mamífero em alto-mar, e a rede foi retirada.

A baleia-jubarte era jovem e foi liberada sem prejuízos. A rede de pesca, segundo os profissionais, era de caceio e malha simples. 

Ainda nesta terça-feira (15) outra baleia-jubarte foi encontrada presa em rede de pesca de Florianópolis, do outro lado da Ilha. Pescadores conseguiram liberar o animal com vida, e a equipe especializada foi ao local para visualizar a situação da área.

Duas baleias ficaram presas e morreram

No fim de semana, duas baleias-jubarte foram registradas presas na Praia da Solidão e próximo à Praia da Galheta. Ambas estavam mortas. Um dos mamíferos não foi mais avistado, enquanto a baleia da Solidão não pôde ser retirada pela equipe especializada por dificuldades de acesso ao animal.

> Tubarões forçam “plano B” para liberar baleia de rede em Florianópolis

A presidente da R3 Animal, Cristiane Kolesnikovas, contou que a língua da baleia-jubarte da Praia da Solidão já estava inchada e que, agora, o animal vai entrar em decomposição.

— É um animal do mar, que está no mar. Vai acontecer o ciclo natural. Depois de eliminar os gases, vai acabar afundando e servindo de comida para outros animais — explicou.

Ainda segundo ela, o protocolo de desmalhe de baleias leva em consideração regras internacionais e coloca como prioridade a segurança dos profissionais. A atividade é perigosa e demanda equipe treinada e autorizada. 

Santa Catarina lidera lista de emalhes de baleia em 2021

Em 2021, foram registradas 14 baleias-jubarte presas em equipamentos de pesca no Brasil. Dessas, nove foram em Santa Catarina, sendo que três morreram. 

O Estado, normalmente, não é um local comum para a passagem das baleias-jubarte. Esses animais vêm para o litoral brasileiro para se reproduzir e ficam entre a Bahia e o Espírito Santo, mas, com o aumento populacional, esse mamífero está aparecendo com mais frequência em Santa Catarina. 

Rede de pesca

Rede de pesca encontrada presa em baleia-jubarte na Praia de Canasvieiras
Rede de pesca encontrada presa em baleia-jubarte na Praia de Canasvieiras
(Foto: )

Quando a pesca acontece na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, é preciso seguir uma série de regras para não prejudicar o ambiente. Algumas atividades são consideradas irregulares e devem ser responsabilizadas. Porém, por diversas vezes, o enredamento é incidental, segundo APA da Baleia Franca. 

> Balé de baleia jubarte surpreende em Itajaí; vídeo

Por isso, as orientações são para que, ao avistar uma baleia, as embarcações mantenham a distância mínima de 100 metros do animal para não interromper o deslocamento. 

No caso de encontrar uma baleia presa a uma rede de pesca, a recomendação é para não mexer no animal e contatar as instituições que fazem parte da coordenação do Protocolo de Encalhes e Emalhes da APA da Baleia Franca/NGI/ICMBio: Instituto Australis, Associação R3 Animal, LabZoo/Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC, Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski da UNESC, Corpo de Bombeiros, Capitania dos Portos e Policia Militar Ambiental.

Leia também

Aumento salarial de professores deve ser retroativo a 1º junho

Bares e restaurantes querem usar "modelo europeu" em SC

Vídeo: motos explodem após colisão em cidade do Vale

Colunistas