nsc
an

Luto

Funcionário que atuava há 32 anos no Hospital Regional morre de Covid-19 em Joinville

Luiz Carlos de Oliveira, mais conhecido como "Cacau", tinha 61 anos e atuava na unidade desde 1989

07/04/2021 - 14h05 - Atualizada em: 07/04/2021 - 14h14

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Luiz Carlos de Oliveira, conhecido como Cacau
Luiz Carlos de Oliveira, conhecido como Cacau
(Foto: )

Um dos funcionários mais antigos do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville, morreu de Covid-19 na manhã desta quarta-feira (7). Luiz Carlos de Oliveira, mais conhecido como "Cacau", tinha 61 anos e atuava na unidade de saúde há 32 anos.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Segundo a assessoria do hospital, Cacau começou a atuar no Regional em 1989 como auxiliar de serviços gerais, que era uma função parecida com um auxiliar de enfermagem. Durante as décadas seguintes ainda atuou como macário e gesseiro, quando o hospital ainda tinha o serviço de ortopedia.

Há cerca de dois meses, Luiz havia saído em licença para aguardar pela aposentadoria. No entanto, ele foi diagnosticado com Covid-19 e internado no Hospital Regional, onde morreu nesta quarta-feira.

> Funcionário mais antigo da Whirlpool, em Joinville, morre de Covid-19

Em uma publicação nas redes sociais, a direção do hospital lamentou a perda de um querido amigo. O comunicado ainda prestou condolências à família e aos colegas de trabalho de Cacau.

- Nunca esqueceremos do seu alto astral, Luiz. Descanse em paz.

> Secretário da Saúde de Joinville se emociona e pede desculpas por mortes relacionadas à Covid-19

Na postagem, outras pessoas também comentaram sobre a personalidade de Cacau e o quanto ele era querido por todos. Em uma das respostas, uma amiga disse que Luiz era um "grande profissional e deixa seu sorriso". Outra disse que ele sempre foi alegre, feliz e vivia cantando.

Além da publicação, a equipe de profissionais do Hospital Regional se reuniu na saída do carro funerário e homenageou o amigo com salva de palmas e orações. Devido às medidas sanitárias por causa da pandemia, não haverá velório e Luiz será sepultado no Cemitério São Sebastião.

Leia também

> Em “reação”, prefeito de Joinville se manifesta sobre ações contra Covid

> Joinville faz compra de R$ 1 milhão em testes para Covid

> Joinville faz acompanhamento sobre “tratamento precoce” para Covid

Colunistas