nsc
dc

Manifestações

Gasolina volta a ser distribuída em SC após liberação de bloqueios em três regiões

Cidades catarinenses registraram filas e falta de gasolina após o bloqueio das distribuidoras em Guaramirim, Itajaí e Biguaçu

09/09/2021 - 16h05 - Atualizada em: 09/09/2021 - 17h00

Compartilhe

Por Luana Amorim
Postos de várias cidades de SC ficaram sem gasolina devido a paralisação
Postos de várias cidades de SC ficaram sem gasolina devido a paralisação
(Foto: )

As três bases de distribuição de combustíveis em Santa Catarina, que foram bloqueadas por caminhoneiros durante os protestos que iniciaram no dia 7 de setembro, foram liberadas na tarde desta quinta-feira (9). Os bloqueios, que começaram nesta quarta-feira (8), deixaram centenas de postos de combustíveis sem gasolina. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Durante a tarde, caminhões-tanque deixaram as unidades de Guaramirim, Biguaçu e Itajaí para reabastecer estabelecimentos de toda a região. A previsão do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro) é de que a situação seja normalizada no Estado até sábado (11).

A primeira base a ser bloqueada - e a última a ser liberada - foi a de Guaramirim, no Norte de Santa Catarina. Desde quarta-feira, manifestantes impediam a saída e a entrada de caminhões do local. Com isso, estabelecimentos em Joinville e de outras cidades da região ficaram sem gasolina no fim da tarde.

O ponto só foi liberado na tarde desta quinta-feira (9), por volta das 15h30. Com escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF), caminhões conseguiram deixar a base, rumo aos postos da região. 

Policiais escontam caminhões até os postos de combustíveis
Policiais escontam caminhões até os postos de combustíveis
(Foto: )

Situação parecida ocorreu na base de distribuição da Petrobras na SC-407, em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O local foi interditado por manifestantes no fim da tarde de quarta-feira e, após uma liminar do Sindicato de Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis), caminhões que estavam retidos na unidade foram liberados para abastecer a região nesta quinta.

> SC cogita uso de agentes do governo federal para desbloqueio das rodovias

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), não houve dificuldade ou necessidade de coerção durante o desbloqueio do acesso à refinaria. A previsão do Sindópolis é que a situação de abastecimento na região seja resolvida em até dois dias. 

Já em Itajaí, a refinaria foi liberada pelos manifestantes no início da tarde após passar toda a manhã com o acesso bloqueado. No local, manifestantes impediam a saída e a entrada de caminhões-tanque, que fazem o abastecimento das cidades da região. 

Caso não ocorra nenhum novo bloqueio, a expectativa é reabastecer os postos até sexta-feira (10). Em Blumenau, por exemplo, a falta de combustíveis deixou ao menos metade dos estabelecimentos sem gasolina nesta quinta-feira, segundo um levantamento do Santa.

Caminhões foram liberados em Itajaí no início da tarde
Caminhões foram liberados em Itajaí no início da tarde
(Foto: )

Com o fim dos bloqueios, alguns postos voltaram a receber gasolina nesta quinta-feira, como em Florianópolis. O abastecimento foi acompanhado por agentes da Guarda Municipal. 

Apesar da liberação das refinarias, os protestos em Santa Catarina continuam. De acordo com a PRF, na tarde desta quinta-feira, havia ao menos onze pontos de bloqueio em cinco rodovias federais. 

> Policial civil atira para o alto para conter briga durante paralisação em Araquari; assista

Procon fiscaliza aumento excessivo dos preços

Uma operação conjunta entre o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Procon, Secretaria de Estado da Fazenda e Polícia Civil está fiscalizando os postos de combustíveis da Grande Florianópolis na tarde desta quinta-feira (9). O objetivo é verificar a suspeita do aumento sem justificativa nos preços.

Nesta quarta-feira (8), o Procon já havia notificado o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipetro-SC) com um alerta sobre as altas abusivas no preço de combustíveis. No pedido, o órgão solicitou que a entidade oriente seus associados a não aplicarem reajuste no valor do combustível em função do movimento dos caminhoneiros.

Leia também: 

Com bloqueio de rodovias, é necessário estocar alimentos?

Abastecimentos de postos em SC normaliza até sábado, diz Sindipetro

Economia da vida real fez Bolsonaro lembrar que bloqueio de estradas é mau negócio

Colunistas