Após a água baixar, fica evidente a destruição deixada pelas enchentes no Rio Grande do Sul. O entulho de casas, indústrias e comércios devastados, e os carros que se tornaram sucata (e o óleo e produtos químicos se espalhando) preocupam o governo gaúcho.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A prefeitura de Canoas, cidade vizinha de Porto Alegre, estima que a parte alagada deva gerar 120 mil metros cúbicos de lixo. Antes da tragédia, o município gerava cerca de 8 a 9 mil metros cúbicos por mês.

As enchentes de 2023 no Estado deixaram para trás cerca de 100 mil toneladas de resíduos, mas a tragédia do ano passado não atingiu nem um terço das cidades afetadas desta vez.

Ainda não há estimativa da quantidade de lixo gerado, e há cidades alagadas, mesmo mais de 20 dias após o início da tragédia. Nesta terça-feira (21) o nível do Lago Guaíba, em Porto Alegre, ficou abaixo dos quatro metros pela primeira vez.

Continua depois da publicidade

Marjorie Kauffmann, secretária do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul, considera que o impacto dos resíduos será gigantesco. São dois desafios: a respeito dos dejetos de grandes empresas, que devem receber tratamento especial, e o segundo é encontrar um local onde levar os rejeitos.

Porto Alegre deve comprar terreno para novo aterro sanitário

A capital gaúcha deve comprar, emergencialmente, um novo aterro sanitário. A nova localização ainda não foi divulgada, mas deve ficar em um terreno próximo de Porto Alegre.

Atualmente, os materiais retirados das ruas são levados para locais específicos em cada bairro, e depois para unidades provisórias, na Zona Norte, na Lomba do Pinheiro e na Serraria.

Seis em cada 10 municípios de SC afirmam não estar preparados para novos eventos extremos

Esta operação de limpeza já começou em 10 de maio, e até agora já recolheu mais de 2,4 toneladas de resíduos, incluindo restos de móveis afetados pela água e lodo. Só em Porto Alegre, mais de 157 mil pessoas foram afetas pelas chuvas. São mais de 39,4 mil edificações atingidas na capital gaúcha.

Continua depois da publicidade

Em todo o Rio Grande do Sul, 464 municípios foram afetados. Nesta terça (21), 72 mil pessoas ainda estavam em abrigos e 581 mil estavam desalojados. No Estado, foram 2,3 mil pessoas afetadas. A Defesa Civil confirmou 161 mortes, e 85 pessoas seguem desaparecidas. Há 806 feridos.

Veja situação de Porto Alegre

*Com informações da Folha de S. Paulo, GZH e g1.

Leia também

Empresa de SC ajuda a lançar painel capaz de prever enchentes e medir nível de rios no RS

FOTOS: Cidade de SC leva estrutura de “guerra” para recuperar município gaúcho

Cavalos, búfalos e cachorros: veja imagens comoventes dos animais resgatados no RS

Destaques do NSC Total