nsc
santa

Crueldade

Homem que matou a própria filha manteve esposa em cárcere privado em Rodeio, diz polícia

Vítima de violência doméstica, mulher pediu uma medida protetiva contra o marido, mas não foi o suficiente para evitar o crime

02/05/2021 - 07h00

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Géssica tinha 21 anos
Géssica tinha 21 anos
(Foto: )

Dias antes de matar a própria filha em Rodeio, no Vale do Itajaí, o pai de Géssica Tizon, 21, manteve a esposa em cárcere privado, revelou a Polícia Civil. O crime aconteceu no dia 12 de abril. Géssica morreu esfaqueada. A mãe, tio e avós dela também foram agredidos, mas passam bem. Além do homicídio e tentativa de assassinatos, o homem agora deve responder também por cárcere privado.

> Receba todas as notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

A investigação sobre a violência doméstica foi concluída na sexta-feira (30). Conforme o delegado Filipe Martins, o homem prendeu a companheira em casa durante todo o final de semana, sob ameaças de morte. Cansada da situação, a mulher procurou a polícia na segunda-feira e pediu uma medida protetiva contra o agressor.

A Polícia Militar a acompanhou até a residência, ela recolheu os pertences dela e dos dois filhos mais novos e foi para o imóvel dos pais, que fica próximo ao local.

> Pai que matou a filha em Rodeio queria assassinar a esposa e quem o atrapalhasse, diz polícia

No mesmo dia, Géssica, que morava em Gaspar, mas trabalhava em Timbó, veio ao saber da separação para ver a mãe e os irmãos. Enquanto estava na casa dos avós, o pai dela chegou com uma espingarda e uma faca.

A jovem teria tentado proteger a mãe quando foi atingida. O pai de Géssica, de 42 anos, foi preso preventivamente.

Colunistas