nsc
    an

    Saúde pública

    Hospital de Joinville está sem remédios básicos para pacientes com Covid-19

    Unidade informou que não irá receber novos pacientes de UTI até que a situação se regularize

    03/08/2020 - 12h08

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    Todos os leitos de UTi do Hospital Bethesda estão ocupados
    Todos os leitos de UTi do Hospital Bethesda estão ocupados
    (Foto: )

    O Hospital Bethesda, em Joinville, comunicou a falta de medicamentos básicos para pacientes com Covid-19 internados na Unidade de Terapia Intesiva (UTI). As medicações são anestésico, relaxante muscular e sedativo. Conforme comunicado divulgado pelo hospital no fim da manhã desta segunda-feira (3), a situação afeta todo o mercado brasileiro. Por esse motivo, a unidade informa que está sem condições de receber novos pacientes de UTI até que a situação se regularize.

    > Aventureiro é o bairro com mais casos ativos de coronavírus em Joinville; veja lista completa

    - A situação é muito crítica, pois mesmo que estejamos dispostos a pagar mais caro pelos remédios, seguindo uma lista de fornecedores repassada pela Secretaria da Saúde, não estamos conseguindo comprar nada e o nosso estoque está acabando. Estamos com os dez leitos de UTI lotados, porém sem condição de oferecer um tratamento adequado e digno, por falta desse tipo de medicamento - pontuou o diretor executivo da instituição, Hilário Dalmann. 

    Na mesma semana em que o hospital iniciou o atendimento aos pacientes com coronavírus, a taxa de ocupação atingiu 100%

    Para conseguir realizar o atendimento aos pacientes, o Bethesda informou que recebe ajuda do Hospital Municipal São José com o repasse emergencial de medicamentos. 

    > Joinville tem 1,3 mil casos ativos de coronavírus e 100% de ocupação nos leitos públicos de UTI

    - Mas sabemos que também todas as unidades hospitalares atualmente estão enfrentando a mesma dificuldade. Pedimos, assim, ajuda imediata do poder público, já que os medicamentos prometidos pelo governo, vindos do Uruguai, ainda não chegaram, e ainda da mobilização da iniciativa privada da área farmacêutica, já que o momento requer ao máximo um esforço conjunto da sociedade - considera. 

    O Hospital São José também pontuou que a unidade não está em falta, no entanto o uso das medicações está limitada.

    Busca de medicações fora do país

    Em nota, o Governo do Estado informou que fez solicitação ao Governo Federal e, com apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério Público Federal, realiza ações para a compra das medicações internacionalmente. A compra deve atender a todos os estados federativos. 

    A Secretaria ainda pontuou que a suspensão das cirurgias eletivas de alta e média complexidade, as quais necessitam de anestesia geral, foi uma medida para contingenciar o uso dos medicamentos. Na última semana, a medida foi prorrogada até o dia 30 de agosto pelo Governo do Estado. 

    ​> Receba notícias de Joinville e da região Norte de SC por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do AN

    Leia também

    > "A família não tem visão dele doente, de tão rápido que foi", diz filho de vítima do coronavírus em Joinville

    >" Ela fez diferença na vida de muita gente", diz amiga de joinvilense de 33 anos que morreu de Covid-19

    > Juliana: a mais jovem vítima de coronavírus em Joinville

    > "Era a pessoa mais feliz que já vi": Luiza Amélia, servidora aposentada da Câmara de Vereadores, foi vítima do coronavírus

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas