nsc
dc

Nova variante

Imagem da Ômicron revela mais que o dobro de mutações da Delta

Mais estudos são necessários para entender se a adaptação do vírus é neutra, menos ou mais perigosa

29/11/2021 - 15h37 - Atualizada em: 30/11/2021 - 09h51

Compartilhe

Metrópoles
Por Metrópoles
É a primeira imagem gráfica da variante do novo coronavírus
É a primeira imagem gráfica da variante do novo coronavírus
(Foto: )

Pesquisadores do hospital Bambino Gesù de Roma, na Itália, divulgaram a primeira imagem gráfica da variante Ômicron do novo coronavírus. O modelo mostra que a nova cepa possui mais que o dobro de mutações encontradas na Delta.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A imagem feita a partir do sequenciamento da nova variante coloca em evidência a proteína spike do vírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19. Os pontos marcados pelos cientistas indicam a maior concentração de mutações na variante identificada no continente africano. Os sinais em vermelhos indicam áreas com variabilidade muito alta; os em laranja, alta variabilidade; os amarelo, são de média variabilidade; e os verdes e os azuis, baixa variabilidade.

Apesar de chamar atenção, os cientistas ponderaram que a presença de mais mutações “não quer dizer automaticamente que são mais perigosas, diz simplesmente que o vírus se adaptou mais uma vez à espécie humana gerando outra variante”. Obtida em computador, a imagem representa a proteína spike a partir do sequenciamento genético feito pelos pesquisadores. Mais estudos são necessários para entender se a adaptação do vírus é neutra, menos ou mais perigosa.

Leia mais no Metrópoles, parceiro do NSC Total.

Leia mais

Quais os sintomas da variante Ômicron da Covid-19; veja reações mais relatadas

Ministro da Saúde diz que cuidados com nova cepa devem ser os mesmos que de outras variantes da Covid

Quantas pessoas em Joinville ainda não tomaram a primeira dose contra a Covid

Bebê é encontrado sozinho engatinhando no meio de rodovia em SC

Colunistas