nsc
nsc

Qualificação

Intelbras firma parceria com institutos técnicos de ensino, incluindo escola internacional

Por meio da Intelbras Itec, companhia estrutura laboratórios de centros educacionais, oferecendo capacitação em diversas áreas

20/05/2022 - 13h19 - Atualizada em: 20/05/2022 - 13h46

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
intelbras itec
Laboratório educacional da Intelbras Itec
(Foto: )

O avanço tecnológico impacta diversos setores, e a capacitação do mercado se torna uma necessidade cada vez mais evidente. Pensando justamente em contribuir com a qualificação do público geral, além de clientes e parceiros, a Intelbras firmou parcerias com grandes instituições de ensino técnico e profissionalizante. 

Por meio da Intelbras Itec, a companhia renovou acordos com oito unidades do Senai, localizadas em cinco estados diferentes (Amazonas, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina) e Distrito Federal, além de outros dez institutos técnicos brasileiros e um uruguaio.

Com as “Parcerias de Treinamento Intelbras” os alunos adquirem conhecimento técnico usando os equipamentos da própria empresa. A ideia é fortalecer a experiência com a marca, formando mão de obra especializada.

— Contamos com infraestrutura robusta para promover uma experiência prática através do uso dos produtos da marca. Para a empresa, oferecer os cursos é uma maneira de estar ainda mais próxima dos profissionais interessados em fazer parte de seu mercado de atuação e se tornar uma referência em tecnologias e produtos — explica Monica Nedel, gerente de cursos técnicos da Intelbras Itec.

Nos últimos dois anos a pandemia fez com as pessoas repensassem sua atuação profissional. Por conta disso, os profissionais precisam buscar cada vez mais formas de aprimorar seus conhecimentos para se destacar no mercado de trabalho. Susana Brockveld, diretora de marketing e comercial corporativo da Intelbras, concorda que a iniciativa da companhia está atrelada a esse objetivo.

— A capacitação profissional oferecida pelos mais de 600 cursos da Intelbras em parceria com as instituições de ensino técnico e profissionalizante auxilia tanto aqueles que estão iniciando no mercado de trabalho, quanto os que desejam ampliar seus conhecimentos para garantir uma maior qualificação, uma promoção ou até mesmo mudar de carreira — explica.

As parcerias

Atualmente a Intelbras realiza três tipos de parceria. A primeira é feita por credenciamento, ou seja, instituições de ensino são autorizadas a ministrarem os cursos desenvolvidos pela empresa e oferecerem certificados seguindo a estratégia combinada. A segunda é feita por convênio, caso em que o centro de ensino oferece cursos com know-how diferente (não-técnico), mas que complementam os da Intelbras. Nesse cenário, a companhia também pode oferecer benefícios como descontos para viabilizar o curso, garantindo a aproximação do estudante com a marca.

A terceira modalidade é a estruturação de laboratórios, sendo exclusiva para instituições de ensino públicas e/ou não governamentais. Um exemplo é a parceria que a Intelbras tem há mais de uma década com o Senai.

— Os laboratórios são formulados com equipamentos de última tecnologia fornecidos pela Intelbras, proporcionando um diferencial aos alunos que estão ingressando no mercado de trabalho de áreas como as de tecnologia da informação e comunicação, segurança e monitoramento, energia fotovoltaica, entre outras — salienta Edilson Caldas, gestor de parcerias tecnológicas do Senai Nacional.

Esses treinamentos proporcionam aos alunos o aprendizado técnico integrado com a marca, sendo atualizados constantemente mediante lançamentos de produtos e tecnologias da empresa. As parcerias permitem que os cursos avançados sejam ofertados em locais mais próximos dos alunos interessados, que não precisam mais se deslocar até a matriz da Intelbras para ter acesso à formação.

Desde 2017, a Intelbras tem parceria com o Senai em São José (SC), com três laboratórios equipados pela empresa.

— A parceria é de extrema relevância, pois o Senai recebeu um valor significativo de investimentos em equipamentos muito modernos, o que possibilita desenvolver competências no estudante de acordo com as demandas do mercado de trabalho. A Intelbras também capacitou os docentes do Senai a trabalharem com seus produtos e soluções, ampliando suas competências — comenta Ricardo Maximo Anzolin, gerente de operações Sesi/Senai – Regional Grande Florianópolis.

> O que esperar da tecnologia para a área de segurança?

Entre as outras parcerias firmadas e renovadas recentemente pela empresa, têm-se quatro de abrangência nacional: Data Treinamentos, Inatel, Portal do Saber e Instituto Mix. Além dessas, o Instituto Santec e o Tecnoponta, ambos de São Paulo, também fazem parte do programa, assim como o Solar 4.0 de Minas Gerais e o Instituto Brasil Offshore do Rio de Janeiro. Duas filiais do Instituto da Construção (São Paulo e Salvador) também estão na lista. No Uruguai, a Intelbras firmou parceria com a tradicional Escuela Euci - Sucesores De Hebert Pugliese Del Río SRL.

Sobre a Intelbras Itec

A Intelbras Itec atua há mais de 15 anos com uma metodologia própria, desenvolvida para proporcionar conhecimento técnico, prático e teórico aos participantes. Somente em 2021, mais de 200 mil cursos (online e presenciais) foram realizados. Nos últimos quatro anos, houve uma ampliação da quantidade de cursos, potencializada pelos avanços do EAD, o que fortaleceu ainda mais as ofertas em gestão, vendas e parcerias de negócios.

Os cursos da Intelbras Itec podem ser acessados pelo portal: cursos.intelbras.com.br. O usuário deve clicar no campo login e fazer seu cadastro para ter acesso ao conteúdo. Os certificados são emitidos eletronicamente após a conclusão e ficam disponíveis para os alunos no portal.

Quer saber mais sobre essas parcerias? Acesse cursos.intelbras.com.br e fique por dentro!

Leia também

Tecnologia do presente: Veja como a inteligência artificial vem transformando o dia a dia das empresas

Bairro de Palhoça aposta na inteligência artificial para garantir segurança de moradores e visitantes

O que vai mudar com a nova conexão 5G?

Colunistas