nsc
    dc

    Tecnologia

    Inteligência Artificial entra em campo nas finais do Campeonato Catarinense

    A solução térmica da Intelbras mede a temperatura de até 15 pessoas simultaneamente

    12/09/2020 - 07h00 - Atualizada em: 14/09/2020 - 08h19

    Compartilhe

    Por Fabrício Vitorino
    Controle de acesso, da Intelbras.
    Controle de acesso, da Intelbras.
    (Foto: )

    A tecnologia ajudou a tornar a final do Campeonato Catarinense mais segura. A catarinense Intelbrás desenvolveu um sistema de Inteligência Artificial para aferir a temperatura e identificar o uso de máscaras no acesso dos jogadores, equipe técnica e imprensa nos estádios. O sistema foi usado nas finais do campeonato e já foi utilizado - e aprovado - na Arena Condá, em Chapecó, e no estádio João Marcatto, em Jaraguá do Sul.

    > Chapecoense garante boa vantagem para a final em Brusque

    O sistema, utilizado em parceria com a Discfone, funciona de forma simples: todos os envolvidos passam em fila diante das câmeras que fazem a aferição da temperatura, sem gerar aglomerações e garantindo a segurança do evento. Além disso, a função de reconhecimento facial da solução identifica se cada pessoa está respeitando o uso da máscara no momento da entrada.

    A solução tecnológica da Intelbras é composta por câmera térmica, gravador inteligente de imagens, equipamento de precisão para medição de temperatura e Software de Monitoramento. A solução identifica e gera alertas de pessoas com alta temperatura, um dos sintomas da Covid-19, de forma automática com auxílio da Inteligência Artificial, podendo acionar sistemas de alarme, controle de acesso, avisos na tela do operador, entre outros.

    A solução térmica da Intelbras mede a temperatura de até 15 pessoas simultaneamente, ajudando a identificar rapidamente possíveis doentes e evitar que eles entrem nos estádios.

    > Tecnologia a favor do amor; adoções são feitas de forma on-line no estado

    Tecnologia de ponta “salva” poço artesiano em Penha

     poço penha
    Poço, em penha
    (Foto: )

    Um poço artesiano, no bairro Santa Lídia, em Penha, foi salvo por uma tecnologia de ponta. Colocado em operação no final de 2019, o equipamento apresentou presença de ferro, que corrigida foi com a instalação de um filtro de resina catiônica desferrizador. O poço, localizado em uma região estratégica do município, reforça o abastecimento, com capacidade de produzir 100 metros cúbicos de água por dia.

    > Aplicativo facilita operações de crédito para colaboradores de empresas

    Floripa é a 2ª cidade mais conectada do Brasil

    Florianópolis ficou em 2º lugar no ranking geral de cidades mais inteligentes e conectadas do Brasil, o “Connected Smart Cities 2020”, que reflete os investimentos feitos em tecnologia nos últimos anos. São Paulo ficou com o 1º lugar na principal categoria, além de ficar no topo da lista nas categorias Região Sudeste; Cidades com + de 500 mil habitantes; Tecnologia e Inovação; e Mobilidade e Acessibilidade.

    > Plano quer transformar Florianópolis em cidade inteligente até 2030

    O “Connected Smart Cities 2020” leva em consideração quesitos como mobilidade e acessibilidade, parque tecnológico, empregos, educação, pesquisa e desenvolvimento, inovação, pontos de acesso a internet por 100 habitantes, velocidade média de banda larga, dentre outros.

    Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas