nsc
an

Ajuda financeira

JEC faz pedido de recuperação judicial para tentar quitar dívida de quase R$ 50 milhões

Pedido gerou polêmica nos bastidores do clube, que vive expectativa para se tornar uma SAF

23/05/2022 - 16h39 - Atualizada em: 23/05/2022 - 17h01

Compartilhe

Yan
Por Yan Pedro
Lucas
Por Lucas Paraizo
Torcida do JEC na Arena Joinville
JEC está sem calendário nacional e terá apenas a Copa SC para disputar no segundo semestre
(Foto: )

Em um cenário de dívidas na casa dos R$ 50 milhões e sem competições nacionais para disputar em 2022, o Joinville Esporte Clube abriu um processo de recuperação judicial. O pedido foi distribuído à 4ª Vara Cível da Comarca de Joinville na última sexta-feira (20) e veio à tona nesta segunda (23), causando polêmica nos bastidores do clube.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Se o pedido for aprovado, o JEC pode entrar oficialmente no processo de recuperação judicial e iniciar, com apoio e fiscalização da Justiça, um cronograma de pagamento das dívidas e acerto com os credores.

Na petição feita à justiça, o clube cita a dívida de R$ 46 milhões (em valores de 2018) e os resultados esportivos negativos dos últimos anos — que fizeram a receita cair drasticamente —, além da queda no número de sócios para em torno de 2 mil. No entanto, a diretoria afirma que as dívidas são "gerenciáveis" e apresenta um plano de pagamento com base em um fluxo de caixa projetado. O clube pede, também, a nomeação de um administrador judicial que iria ser responsável pelo processo de recuperação.

O processo gerou reclamação por parte do Conselho Deliberativo do JEC, que alegou não ter sido consultado antes do pedido à Justiça. Presidente do CD, Darthanhan Oliveira usou as redes sociais para criticar o ato, que chamou de "inaceitável":

"É inaceitável que uma diretoria ao apagar das luzes, queira decidir sozinha sobre pedido de RJ (recuperação judicial). Algo que pode comprometer o futuro do clube tem que ser debatido entre todos os poderes incluindo os sócios em Assembleia Geral. É uma questão de ordem legal, ética e de transparência".

A situação coloca fogo nos bastidores do JEC em meio às tratativas para o clube se tornar uma SAF (Sociedade Anônima do Futebol) — em um plano que era considerado viável para reestruturar e sanar as dívidas do clube. No fim do ano passado, uma comissão formada por conselheiros chegou a apresentar oficialmente o projeto de SAF, prevendo possíveis vendas de até 90% das ações do JEC SAF.

Peticionada na Justiça na última sexta, a ação de recuperação judicial do JEC ainda não foi analisada pelo juiz Luis Paulo Dal Pont Lodetti. Se ele acatar o pedido, o plano de recuperação é iniciado e apresentado a uma assembleia de credores. Se o plano for feito, aprovado e colocado em prática, mas não cumprido, o clube pode ir à falência,

Em Santa Catarina, o Figueirense e a Chapecoense já apresentaram também pedidos de recuperação judicial. A Chape, inclusive, teve o pedido aprovado três meses atrás.

Com eleições marcadas para o final do ano, o JEC está sem competições no momento e aguarda, apenas, o início da Copa Santa Catarina, no segundo semestre do ano. A reportagem do AN e da CBN Joinville tentou contato com o JEC para comentar o pedido de recuperação, mas não teve retorno até a publicação da reportagem.

Leia também

Plano para retomar duplicação em avenida de Joinville prevê trecho de 500 metros

Joinville contrata programa de contraturno para 200 estudantes

Reforma de ginásio em Joinville vai avaliar ampliação “oficial”

Colunistas