nsc
an

Clima

Joinville bate recorde histórico com temperatura acima dos 40°C em outubro

Índice de calor superou os 50°C na tarde desta sexta-feira, segundo a Epagri/Ciram

02/10/2020 - 15h01 - Atualizada em: 02/10/2020 - 15h25

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Joinvilenses procuram alternativas para se refrescar
Joinvilenses procuram alternativas para se refrescar
(Foto: )

Joinville atingiu a temperatura máxima de 42,9°C na tarde desta sexta-feira (2) e bateu um recorde histórico para outubro e o início da primavera. A estação meteorológica da Univille não registrava uma temperatura tão alta para esta época do ano há pelos menos duas décadas. A unidade acompanha o clima desde os anos 1990 e tem dados históricos da cidade referentes há mais de 80 anos.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia.

- Ainda estamos analisando quando foi a última onda de calor como esta, mas estamos em uma situação bastante atípica. É um recorde histórico, pelo menos em relação aos últimos 10 a 20 anos - afirma Paulo Ivo Koehntopp, coordenador da estação.

Segundo dados da Epagri/Ciram, a cidade registrou também um índice de calor de 51°C durante a tarde. Este índice mostra a temperatura sentida devido a combinação entre a temperatura aparente do ar e a umidade relativa do ar. Foi maior do que os dados da última quinta-feira, quando o índice chegou "apenas" a 42°C.

> Temporais com granizo e ventos fortes podem atingir a maior parte de SC nesta sexta-feira

Em cidades do Norte de Santa Catarina, a temperatura chegou a ser maior. Em Jaraguá do Sul, a máxima foi de 44°C, e na vizinha Corupá os termômetros chegaram a 43°C. Por outro lado, em cidades litorâneas o calor foi menos intenso. Em Balneário Barra do Sul, a máxima não ultrapassou os 29°C.

O que está causando o calor?

Segundo Koehntopp, as temperaturas estão altas por causa de um grande bloqueio atmosférico que se encontra no Planalto Central brasileiro. Ele explica que existe uma grande massa de ar quente nessa região, como se fosse uma grande bolha estacionada, o que impede que as frentes frias subam.

- As frentes frias teriam que empurrar essa bolha para o Norte para que as temperaturas ficassem mais baixas. A expectativa é que uma frente fria forte o suficiente se choque com essa massa de ar quente na região Sul nos próximos dias - explica o especialista.

O coordenador da estação meteorológica da Univille diz que uma frente fria costuma alterar a temperatura da região por aproximadamente três dias, em média. Caso ela chegue nesta sexta-feira, como aponta a previsão, a temperatura deve ser menor até o início da próxima semana.

A temperatura média normal durante o período inicial da primavera gira em torno de 19°C a 22°C durante a noite em Joinville. Já no período do dia, ela sobe mais e chega próximo dos 30°C. O calor como o registrado nesta quinta e sexta-feira é mais comum já em dezembro, com a chegada do verão.

> Sementes "da China" podem ser parte de fraude em comércio virtual; entenda

Mudanças climáticas, queimadas e desmatamento

O recorde histórico de temperatura pode ter relação direta com as mudanças climáticas globais, de acordo com o professor da Univille e coordenador da estação meteorológica. No entanto, Paulo Ivo diz que ainda é cedo para confirmar esta como sendo a única causa.

- Muito se fala de mudanças climáticas globais e nossa região, certamente, está sendo afetada por este conjunto de processos. As próprias questões de queimadas e desmatamento intensificam essa massa de ar quente - explica.

> Joinville e região continuam em situação “grave”; o que precisa para as aulas voltarem em outubro

Colunistas