nsc
an

Pandemia

Joinville fecha dezembro com o maior número de mortes por Covid-19 desde setembro

Secretário da Saúde espera novo pico de internações em UTI na segunda quinzena de janeiro

30/12/2020 - 11h44

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Pela primeira vez desde agosto, Joinville passou de 100 pessoas internadas na UTI por Covid-19
Pela primeira vez desde agosto, Joinville passou de 100 pessoas internadas na UTI por Covid-19
(Foto: )

Dezembro de 2020 está chegando ao fim com o maior número de mortes por coronavírus desde setembro em Joinville. Os dados do governo do Estado mostram que 89 pessoas morreram até agora neste mês, sendo o pior número desde julho e agosto, quando houve o pico da pandemia na maior cidade de Santa Catarina. E o município já prevê um agravamento da situação em janeiro de 2021.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

O mês ainda não acabou, mas o número de mortes por Covid-19 em dezembro já quase triplicou em relação ao registrado em novembro na cidade - se comparado à outubro, é mais do que três vezes maior.

A pandemia começou em março em Joinville, causando sua primeira vítima fatal no dia 30. No mês seguinte foram registrados mais quatro óbitos e, a partir daí, os números cresceram até chegar ao pico da pandemia na cidade, em julho e agosto, quando morreram 107 e 110 pessoas, respectivamente.

​> Painel do coronavírus: confira em gráficos como foi o avanço da doença em SC

Novo pico de internações em janeiro

Em uma avaliação sobre o atual momento da pandemia na cidade, o secretário da Saúde de Joinville, Jean Rodrigues da Silva, afirma que uma das preocupações do município é o aumento da ocupação dos leitos. Atualmente, são cerca de 100 pacientes internados em leitos de UTI. É a primeira vez em que o patamar é atingido desde julho e agosto, quando 120 pessoas estiveram internadas ao mesmo tempo.

- O perfil de internação dos pacientes também mudou um pouco. Em agosto, eram mais idosos e que ficavam mais tempo internado. Agora, o tempo de internação diminuiu e o perfil mudou para adultos e jovens - explica.

> Por que Joinville não deve mudar medidas contra coronavírus na próxima semana

Rodrigues ressalta que as festas e confraternizações de fim de ano também geram dificuldades para o município porque devem agravar a situação. Mesmo que as medidas de contingência adotadas no início de dezembro tenham surtido efeito e reduzido os impactos, que poderiam ser ainda maior, de acordo com a avaliação do secretário.

- Batemos de novo o número de 100 pessoas internadas e esperamos um novo pico de aceleração nas internações para a segunda quinzena de janeiro - revela.

> Opinião Loetz: a culpa é do sol e da cerveja

Ampliação dos leitos de UTI

Atualmente, Joinville conta com 73 leitos de UTI em hospitais públicos e outros 61 leitos em hospitais privados. A estratégia da Secretaria da Saúde é aumentar a oferta em janeiro para conseguir atender a demanda, que deve crescer na segunda quinzena.

O objetivo inicial era abrir oito novo leitos de UTI do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, que hoje conta com 20 destinados exclusivamente para Covid-19. Seria contratados profissionais pela prefeitura, mas o município enfrenta dificuldades para encontrar médicos pelo processo seletivo, o que deve atrasar a abertura das novas vagas.

Com isso, a estratégia agora é ampliar a capacidade dentro do Complexo do Hospital Municipal São José, que atualmente tem 35 leitos de UTI para Covid-19. Segundo o secretário Jean Rodrigues, o planejamento prevê a abertura de 14 novas vagas em janeiro.

> Joinville repassa R$ 6 milhões para Hospital Bethesda ativar ala de UTI

Leia mais

> Número de regiões em nível gravíssimo para o coronavírus cai de 16 para 12 em SC

> Leitores do NSC Total contam as lições que aprenderam em 2020 com a pandemia

Colunistas