nsc
    an

    CIÊNCIA

    Joinville quer fazer sequenciamento do coronavírus em parceria com universidade

    Objetivo é dar mais agilidade ao processo, que hoje é feito apenas em Florianópolis

    12/02/2021 - 06h00

    Compartilhe

    Hassan
    Por Hassan Farias
    Exame coronavírus
    Nova mutação do coronavírus foi identificada em morador de Joinville
    (Foto: )

    Joinville tem a intenção de começar a realizar na cidade o sequenciamento do coronavírus para identificar possíveis mutações do vírus. A Secretaria da Saúde busca parceria com a Univille, que tem um laboratório de biologia molecular com capacidade para fazer o processo. Nesta quinta-feira (11), Joinville confirmou o primeiro caso da variante brasileira do coronavírus em Santa Catarina.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui 

    O sequenciamento é a única forma de identificar possíveis variantes do coronavírus. Atualmente, o processo acontece no Laboratório Central de Florianópolis (Lacen), que é o único órgão em Santa Catarina que pode determinar oficialmente uma mutação no vírus.

    > Variantes do coronavírus: o que são e quais as diferenças entre elas

    No entanto, o infectologista e coordenador da Vigilância em Saúde de Joinville, Luiz Henrique Melo, explica que o objetivo é reduzir o tempo para obter os resultados e dar agilidade na tomada de medidas de precaução.

    - Vários estados estão vendo a necessidade disso porque centralizar tudo em um lugar só no país continental como o nosso, obviamente traz demora. Então, a gente seguiria as regras federais, identificaria os casos e só mandaria para eles (Lacen) confirmarem - explica.

    > Variante do coronavírus em SC: profissionais de saúde envolvidos com paciente serão testados em Joinville

    Caso a parceria seja firmada, Melo diz que o laboratório da Univille conseguiria fazer a triagem, identificar previamente os casos com mutação e enviar ao Lacen apenas aqueles que apresentassem mutações no sequenciamento realizado na cidade. Não seria mais necessário enviar todos os casos que são de Manaus, por exemplo.

    - A ideia é fazer a parceria para mandarmos amostras e começar a avaliar não só aqueles indivíduos que identificarmos que vieram de determinado local, mas também aleatoriamente buscar a identificação de, quem sabe, até uma mutação local - detalha.

    > Joinville multou 200 pessoas por descumprir isolamento domiciliar

    O coordenador da Vigilância em Saúde ainda afirma que a universidade já tem a estrutura necessária, mas ainda precisaria de insumos e máquinas. A Univille vai fazer o levantamento do que falta para que a prefeitura possa avaliar a possibilidade de efetivar a parceria e dar início ao sequenciamento.

    Leia também

    > Vinda de Bolsonaro a São Francisco está confirmada; prefeitura tenta visita ao Centro Histórico

    > Joinville terá usina para tratamento de lixo

    Colunistas