nsc
    santa

    Crime

    Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de matar prefeito de Imbuia, no Alto Vale 

    Decisão prevê que detenção ocorra assim que ele tiver alta do hospital em que está internado desde o dia do crime 

    10/01/2020 - 18h28 - Atualizada em: 10/01/2020 - 18h32

    Compartilhe

    Jean
    Por Jean Laurindo
    Crime ocorreu na quarta-feira, em frente à prefeitura de Imbuia
    Crime ocorreu na quarta-feira, em frente à prefeitura de Imbuia
    (Foto: )

    Uma decisão do juiz Marcio Preis, titular da 2ª Vara da Comarca de Ituporanga, decretou nesta sexta-feira (10) a prisão preventiva do homem suspeito de assassinar o prefeito de Imbuia, João Schwambach, na última quarta-feira (8).

    O juiz determina que o mandado de prisão seja cumprido assim que o indiciado tiver alta da Unidade de Terapia Intensiva onde está internado. Até esta sexta-feira ele permanecia em estado grave no Hospital Regional de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí.

    O juiz também autorizou que os parentes possam visitar a vítima no hospital. Inicialmente, a autoridade policial lavrou auto de prisão em flagrante, mas o juiz entendeu que a situação de flagrância não ficou caracterizada.

    “Isso porque, segundo o relato dos policiais civis e militares que atenderam a ocorrência, aliado às declarações das testemunhas ouvidas nos autos, o investigado não foi preso durante a ação criminosa nem tampouco depois acabar de cometê-la. De igual modo, não foi perseguido ou encontrado, logo após, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser o autor da infração. Nesse ponto, ressalto que a arma de fogo supostamente usada foi apreendida pela polícia na residência do investigado, enquanto o suspeito já estaria sendo conduzido por familiar para atendimento médico”, anotou o juiz na decisão em que atende o pedido de prisão preventiva.

    Apesar de rejeitar o auto de prisão em flagrante, o juiz Marcio Preis entendeu que os pressupostos para a prisão preventiva mostram-se presentes e aceitou o pedido de prisão feito pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC).

    “No tocante à prova da existência do crime, observo que a materialidade desponta das provas que instruem os presentes autos digitais. Além disso, as declarações apresentadas na fase indiciária reforçam a presença da materialidade do delito e nos dão indícios razoáveis da autoria por parte do réu”, diz um trecho da decisão.

    O prefeito de Imbuia foi sepultado na tarde desta quinta-feira, sob forte comoção na cidade de 6 mil habitantes do Alto Vale do Itajaí.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas