nsc
santa

Pandemia

Lanchonete de dono que desafiou o Estado é fechada pela fiscalização em Blumenau

Dono do Madrugadão Lanches havia desafiado Estado ao dizer que não aceitaria o decreto

20/03/2021 - 22h28 - Atualizada em: 22/03/2021 - 15h45

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Jalmei Garcia gravou vídeo em frente à unidade do bairro Itoupava Norte
Jalmei Garcia gravou vídeo em frente à unidade do bairro Itoupava Norte
(Foto: )

A Polícia Militar e a Defesa Civil de Blumenau foram acionadas por volta das 23h deste sábado (20) após solicitação de descumprimento do decreto publicado pelo Estado na noite desta sexta-feira (19) no estabelecimento Madrugadão Lanches. O proprietário do local, Jalmei Garcia, havia desafiado o Estado ao afirmar que não aceitaria o decreto. 

> Lanchonete que causou polêmica foi única notificação da PM em Blumenau no fim de semana

> Dono diz que lanchonete não foi fechada em Blumenau e que não cumprirá decreto

> Receba no seu WhatsApp todas as notícias de Blumenau e região. Clique aqui.

Segundo a polícia, havia poucas pessoas no local e dono do estabelecimento foi orientado. Apesar da resistência do proprietário em publicação divulgada em redes sociais durante a última sexta-feira (19), a polícia afirmou que não houve tumulto, nem intercorrências durante a orientação. O estabelecimento fica no bairro Itoupava Norte. 

Até as 23h15 a fiscalização ainda estava no local e a ocorrência ainda não havia sido fechada. A polícia não informou se o procedimento também ocorreu no outro estabelecimento localizado no bairro Victor Konder. 

A reportagem tentou contato com o estabelecimento nos telefones comerciais por volta das 23h30min deste sábado, mas não conseguiu.

Dono desafiou Estado e disse que não seguiria decretos do governador

O dono do Madrugadão Lanches de Blumenau, Jalmei Garcia, publicou nas redes sociais da empresa e no perfil pessoal dele um vídeo em que afirma que não cumpriria o decreto. 

O documento, porém, não proíbe o funcionamento de lanchonetes e similares. O descumprimento pode configurar crime contra a saúde pública.

Veja o vídeo em que o dono diz que não seguirá o decreto

Colunistas