nsc
dc

Crime bárbaro

Laudo inicial do IGP aponta que homem espancado em supermercado morreu por asfixia

Novos exames serão realizados antes da divulgação no laudo definitivo, segundo o IGP

21/11/2020 - 07h38 - Atualizada em: 21/11/2020 - 11h01

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Crime ocorreu no estacionamento de um supermercado em Porto Alegre
Crime ocorreu no estacionamento de um supermercado em Porto Alegre
(Foto: )

O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul (IGP-RS) apontou, em análise inicial, que o homem negro espancado em supermercado de Porto Alegre morreu por asfixia. As informações são do site G1/RS.

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

O IGP fará outros exames antes de divulgar o laudo definitivo, o que deve ocorrer nos próximos dias. O corpo de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, inicialmente foi levado aos Departamentos de Criminalística e Médico-legal, mas foi liberado ainda na tarde dessa sexta-feira (20).

O crime

João Alberto fazia compras com a esposa quando teria ocorrido um desentendimento com uma funcionária do local. Seguranças levaram João Alberto para o estacionamento do supermercado, onde ocorreram as agressões. As imagens indicam que o espancamento e imobilização duraram mais de cinco minutos.

Os envolvidos na agressão são o policial militar Giovane Gaspar da Silva, de 24 anos, e o segurança Magno Braz Borges, de 30. Os dois foram presos em flagrante e tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Leia mais:

"Ele gritava que não conseguia respirar", diz amigo de homem morto no RS

"Racismo ameaça a vida das pessoas", afirma vereadora atacada em Joinville

Colunistas