nsc
dc

Meio ambiente

Lava de vulcão na Espanha pode emitir gases tóxicos, dizem especialistas

Nuvens tóxicas podem se formar no meio ambiente após contato com o mar, alertam os geólogos

21/09/2021 - 17h53 - Atualizada em: 24/09/2021 - 13h07

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Vulcão entrou em erupção no domingo (19) e vem deixando rastro de destruição nas Ilhas Canárias
Vulcão entrou em erupção no domingo (19) e vem deixando rastro de destruição nas Ilhas Canárias
(Foto: )

As lavas do vulcão Cumpre Viaja, que entrou em erupção no domingo (19) e desce pela costa das Ilhas Canárias, na Espanha, pode emitir gases tóxicos quando atingir o Oceano Atlântico. Essa é a precupação de especialistas do Serviço Geológico dos Estados Unidos. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Segundo eles, o encontro do magma com o mar pode gerar explosões, ondas de água fervente e até nuvens tóxicas. As informações são do G1

— As nuvens criadas pela interação entre a água do mar e a lava são ácidas — explicou Patrick Allard, diretor de pesquisa do instituto francês de Geofísica do Globo. 

O encontro estava inicialmente previsto para ocorrer na noite de segunda-feira (20). Porém, como o avanço da lava na ilha de La Palma, no arquipélago em frente à costa da África, está lento, isso ainda não aconteceu. O magma está a cerca de 2 km do mar e avança por volta de 200 metros por hora. Ainda não há uma nova previsão de quando a lava pode atingir o oceano. 

Mais de 6 mil pessoas deslocadas 

O Cumbre Vieja registrou a sua nona fissura eruptiva na noite desta segunda-feira após um novo terremoto. Isso obrigou que as autoridades removessem mais 500 pessoas da região, elevando para 6 mil o número de deslocados. 

De acordo com o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), a erupção do vulcão pode durar "semanas ou alguns meses". Ele expele colunas de fumaça que alcançam centenas de metros de altura e entre 8 e 10,5 mil toneladas de dióxido de enxofre por dia. 

O governo das Canárias decretou um "raio de exclusão de 2 mil milhas náuticas" - cerca de 3,7 km - ao redor de onde os fluxos de lava devem chegar. 

> SC tem motivos para se preocupar com o tsunami no Brasil? Entenda

Rastro de destruição 

O vulcão já causou um rastro de destruição na região, enquanto avança para o mar. Ao todo, 166 construções já foram destruídas e 103 hectares de ilha atingidos, segundo o sistema europeu de observação espacial Copernicus. 

Apesar disso, nenhuma morte foi registrada até o momento. Além disso, o espaço áereo permanece aberto.

Leia também: 

Por que o alargamento da praia em Balneário Camboriú atraiu tubarões

Após manifestação tensa na Comcap, acesso a caminhões de lixo é liberado em Florianópolis

Policial briga com vizinhos, invade residência e dois ficam feridos em Camboriú

Colunistas