O líder de um grupo criminoso, suspeito de traficar armas e drogas em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul foi preso nesta quinta-feira (7) em Criciúma, no Sul catarinense, durante uma operação da Polícia Civil gaúcha. A ação, batizada de “Galápagos”, cumpriu mais de 40 mandados em doze municípios dos dois estados. Também foi sequestrado um imóvel de alto padrão localizado em Bombinhas, no Litoral Norte.

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

As investigações iniciaram em maio deste ano após o cumprimento de mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e Gravataí. De acordo com o delegado Rafael Liedtke, na ocasião, policiais foram recebidos a tiros enquanto cumpriam uma das ordens judiciais em um sítio. O suspeito pelos disparos, de 43 anos, morreu após o confronto. Ele seria umas das principais lideranças do grupo.

Grupo que furtava caminhonetes de luxo em Balneário Camboriú e região é alvo da polícia

Durante a ação, armas de fogo, munições, artefatos explosivos, coletes balísticos, veículos, drogas, celulares e dinheiro foram apreendidos. Os objetos foram analisados e, com isso, a polícia descobriu a existência de uma associação criminosa especializada no tráfico de drogas e venda, posse e porte ilegal de munições e armas de uso restrito. Além de atuarem em Gravataí e na Zona Norte de Porto Alegre, o grupo também tinha ramificações em Santa Catarina, nas cidades de Balneário Camboriú, Bombinhas, Palhoça, São José e Criciúma.

Continua depois da publicidade

Áudios no qual o NSC Total teve acesso mostra de que forma ocorria o comércio. Em uma das conversas, os criminosos negociam um colete balístico. Já em outro, a pessoa orienta como dividir o dinheiro adquirido em duas contas.

— Só naquele tempo que a gente esteve na cadeia, movimentamos quase R$ 1 milhão que estava na nossa conta — diz um dos trechos.

Ainda de acordo com o delegado, o grupo se intitulava como “Tropa do Pinguim” e estava em guerra pelo controle de pontos de venda de drogas na Capital e Região Metropolitana de Porto Alegre. Isto teria aumentado a violência na região, além de que os membros mantinham relações com pessoas que estavam presas e que atuavam no tráfico de drogas e comércio de armas.

Com o lucro, as lideranças sustentavam uma vida de luxo, adquirindo veículos e morando em apartamentos localizados em bairro nobres, inclusive em cidades do litoral de Santa Catarina. Elas também financiavam a abertura de um comércio com o dinheiro adquirido com a prática dos crimes, além de realizarem viagens e a compra de terrenos e imóveis.

Continua depois da publicidade

Nesta quinta-feira, foram cumpridos 22 mandados de prisão, 20 de busca e apreensão, sete sequestros de veículos e a indisponibilidade de um imóvel em Bombinhas. O restante dos mandados foram cumpridos em Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha, Charqueadas, Sapucaia do Sul, Sentinela do Sul e Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e em Florianópolis, Bombinhas, São José, Palhoça e Criciúma.

Além da prisão em Criciúma, outras 19 pessoas foram detidas. Também foram apreendidas 20 armas de fogo (fuzil, submetralhadora, pistolas e revólveres), centenas de munições de calibre restrito, automóveis de luxo, drogas, valores em espécie de dólar e real, e celulares.

Os investigados respondem pelos crimes de tráfico de drogas (pena máxima até 15 anos de reclusão), associação para o tráfico de drogas (pena máxima até 10 anos de reclusão), posse e porte ilegal de munições e arma de fogo (penas máximas até 12 anos de reclusão), e comércio ilegal de armas de fogo.

A ação foi deflagrada pela 2º Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (2º Din/Denarc) com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina.

Continua depois da publicidade

Veja imagens da operação

Confira imagens de apartamento alvo de busca

Leia também

Polícia conclui investigação sobre morte de turista austríaco em praia de Florianópolis

Delegado da Lava Jato está por trás de “boom” nas investigações de crimes financeiros em SC

Grupo suspeito de movimentar R$ 3,5 bilhões em contrabando de soja é alvo de operação da PF

Destaques do NSC Total