nsc
dc

Educação

Mais oito escolas cívico-militares são anunciadas para SC; veja as cidades

Governo Federal divulgou nesta segunda-feira (10) os nomes dos municípios contemplados

11/01/2022 - 12h39 - Atualizada em: 11/01/2022 - 12h44

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
Imagem da Escola Cívico-Militar Melvin Jones, em Itajaí
Imagem da Escola Cívico-Militar Melvin Jones, em Itajaí
(Foto: )

O governo federal anunciou nesta segunda-feira (10) que mais oito colégios de Santa Catarina serão incluídos no Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim). A expectativa é que as unidades selecionadas passem a atender dentro do novo formato de ensino ainda este ano, segundo o Ministério da Educação.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A metade dos colégios anunciados no começo desta semana fica no Vale do Itajaí, com unidades previstas para Rio do Sul, Brusque, Itapema e Balneário Camboriú.

Atualmente, SC tem sete instituições de ensino do governo do Estado dentro do programa de escolhas cívico-militar. Em Itajaí, há uma da rede municipal.

A adesão ao programa ocorre através de manifestação de prefeituras e governo do Estado, que precisam garantir as condições técnicas necessárias para implantação das unidades. Caso contrário, as escolas são desclassificadas.

Nem todas as cidades já bateram o martelo sobre qual colégio será escolhido para receber o programa. Porém, os critérios utilizados para a definição da escola estabelecem que sejam undades com baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) e que tenham alunos em situação de vulnerabilidade social.

Em Rio do Sul, por exemplo, a prefeitura vai discutir a questão com o Estado. Na cidade de Maravilha, por sua vez, será no Centro Educacional Vereador Raymundo Veit. Já em Lages o governo municipal deve debater nessa semana se vai mesmo aderir ao Pecim.

Pelo modelo, militares das Forças Armadas e das polícias estaduais atuam em conjunto com os servidores das escolas na coordenação das atividades internas. O trabalho dos militares internamente é de disciplina. A estrutura escolar continua sendo administrada pelos profissionais da rede de educação, seja ela municipal ou estadual.

> Variante Ômicron já é predominante no Brasil, diz Ministério da Saúde

> SC é o 8º estado com mais sortudos nas Loterias em 2021

Cidades contempladas, conforme o governo Federal:

  1. Porto União - Núcleo Educacional João Fernando Sobral
  2. Maravilha - Centro Educacional Vereador Raymundo Veit
  3. São Joaquim - Escola de Educação Básica Municipal Jurema Hugen Palma
  4. Lages - discute se de fato vai aderir
  5. Brusque - não informou
  6. Itapema - não informou
  7. Rio do Sul - debate qual colégio será selecionado
  8. Balneário Camboriú - não informou

Cidades que já integram o Pecim: 

  1. Tubarão - EEB Henrique Fontes 
  2. Biguaçu - EEB Profª. Emérita Duarte Silva e Souza
  3. Palhoça - EEB Prof. Angelo Cascaes Tancredo
  4. Criciúma - EEB Joaquim Ramos
  5. Chapecó - EEB Professora Irene Stonoga
  6. Blumenau - EEB Cel. Pedro Christiano Feddersen
  7. São Miguel do Oeste - EEB Prof. Jaldyr Bhering Faustino da Silva
  8. Itajaí - EBM Melvin Jones

Diferente de Colégio Militar

As escolas cívico-militares são diferentes dos colégios militares. Enquanto nas primeiras os militares têm como papel apoiar a gestão na unidade, na segunda todo o processo é coordenado pela Polícia Militar. 

Com isso, metade das vagas é destinada a filhos de militares e ocorre um processo de seleção dos alunos. No colégio cívico-militar, a escola adere ao programa e profissionais das forças de segurança são destacados para atuar neles.

Leia também

> Homem destrói carro a machadadas ao ser abordado em Blumenau; vídeo

> Ataque de abelhas deixa 11 feridos em Blumenau e vídeo mostra desespero

> PM de SC expulsa agentes investigados por desaparecimento de pescador

> SC tem o maior número de casos ativos de Covid em seis meses

Colunistas