nsc
    hora_de_sc

    Esquenta para nova edição

    Big Brother Brasil: por onde anda o primeiro participante catarinense do reality show

    O blumenauense Marcelo Augusto Kretzer que participou da edição de 2003 mora há 16 anos na Austrália

    14/01/2021 - 06h28

    Compartilhe

    Por Janaína Laurindo
    Marcelo Kretzer no BBB 3 e com a esposa e os filhos
    Marcelo Kretzer em 2003, na casa do BBB, e em 2020 com a esposa e os três filhos
    (Foto: )

    Após exatos 18 anos, fomos atrás do primeiro participante catarinense a entrar na casa do Big Brother Brasil. O blumenauense Marcelo Augusto Kretzer participou do BBB 3, que foi exibido de 14 de janeiro a 1 de abril de 2003. Ele foi eliminado logo no terceiro paredão, na edição que teve a participação da apresentadora Sabrina Sato e da atriz Juliana Alves, e que teve Dhomini como grande vencedor.

    > Big Brother Brasil: confira catarinenses que já participaram do reality show

    Participantes do Big Brother Brasil 3
    Participantes do Big Brother Brasil 3
    (Foto: )

    Na época com 23 anos, Marcelo trabalhava como DJ e fazia faculdade de gastronomia, profissão que segue até hoje. Às vésperas do início da edição do BBB 21, através das redes sociais localizamos o ex-brother. 

    Marcelo topou contar um pouco de como tem sido a vida em quase duas décadas após a participação no reality. A conversa começou com um pedido de desculpas, já que o português já dá uma enrolada, Marcelo, hoje com 40 anos, mora há 16 na Austrália, é casado e tem três filhos.

    > BBB 21: quando começa, qual será o elenco e como será a dinâmica

    Você conseguiu realizar os planos que fez quando saiu do BBB?

    Na verdade, nunca fiz planos para antes ou depois da casa, eu deixei as coisas acontecerem naturalmente. Foi bom, no sentido de conhecer um pouco mais de pessoas. Foi uma exposição diferente. De uma maneira geral, eu nunca fiz muitos planos, até hoje, eu vou levando como vem, tranquilo.

    O que tirou de melhor da sua participação no reality show?

    A experiência em si, que se torna uma experiência de vida. Muda um pouco também a percepção sobre a mídia, a força que a mídia tem sobre a opinião das pessoas. Hoje vivemos em um cenário em que essa influência é mais forte e eu já conseguia sentir isso há anos atrás, essa força que ela tem com os telespectadores e hoje em dia com os social media também. E muitas vezes de maneira negativa.

    > Modelo catarinense Dayane Mello causa polêmica entre fãs brasileiros e italianos de Big Brother

    Atualmente o que você está fazendo profissionalmente?

    Hoje eu trabalho como chef de cozinha. Faz 16 anos que moro na Austrália e faz 16 anos que trabalho como chef, representando os sabores do nosso país e do nosso continente.

    Você tem filhos muito fofos, naquela época já imaginava ter uma família grande?

    Sim, tenho três filhos. A Isabelle, de 9 anos, o Matteo, de 7 anos, e a Mia, de 6 anos. As meninas mandam muito bem no skate e o menino joga futebol, como não poderia ser diferente. Como falei, eu nunca planejei nada, a família eu não planejei, ela aconteceu naturalmente e foi uma benção. A minha esposa nasceu na Coréia do Sul e foi adotada ainda muito pequena por uma família australiana, ela é fotografa de bebês, maternidade e família. Sou um homem de muita sorte por ter a família que eu tenho, a esposa que eu tenho e poder estar morando em um país tão lindo.

    > Primeiras edições do Big Brother Brasil podem ser reprisadas no Viva

    Costumar visitar Blumenau?

    Eu já voltei algumas vezes para o Brasil para visitar a família, mas já faz algum tempo que não vou, infelizmente. Até porque o custo envolvido é bem grande, ainda mais com uma família grande (risos). Mas assim que for possível, e depois que a pandemia passar, eu com certeza estarei voltando para minha terrinha para estar com a família e com os amigos.

    > BBB 21 terá aplicativo de paquera, e líder produzirá conteúdo para podcast

    Colunistas