A cadela Mel, que fez parte do 4º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina (CBMSC) em Araranguá, morreu nesta segunda-feira (20). O animal trabalhava em buscas por vítimas desaparecidas e atuou pelo Brasil, como no desastre de Mariana, em Minas Gerais, em 2015.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Mel estava com 13 anos e havia se aposentado da vida de “bombeira” em 2017. Por oito anos, fez dupla com o sargento Rodrigo Bonaldo Rafael. Depois do fim da carreira, a cachorra continuou vivendo com o companheiro de trabalho.

Mel e sargento Rodrigo Bonaldo Rafael (Foto: CBMSC/Divulgação)

— De lá para cá, esteve morando comigo, saudável e ativa até que chegou o momento de descansar — relatou o sargento.

Catarinense morre 5 dias antes de realizar sonho de assistir ao show do Coldplay

Continua depois da publicidade

Durante a vida, a cadela recebeu certificações de nível estadual e também da Organização Internacional de Cães de Busca e Resgate (IRO), sigla em inglês para International Search and Rescue Dog Organisation, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar.

Trabalho no desastre de Mariana

Em 5 de novembro de 2015, uma barragem se rompeu e despejou toneladas de lama de rejeito no meio de um vale na área rural de Mariana, no interior de Minas Gerais. Na ocasião, 19 pessoas morreram.

Sargento e Mel em ação durante buscas em Mariana, em Minas Gerais (Foto: Divulgação/CBMSC)

Bombeiro baleado em Itajaí durante atendimento a pessoa ferida deixa hospital

A cadela Mel atuou por uma semana nas buscas por vítimas junto do sargento e outras duplas de binômios que auxiliaram na ocorrência.

Continua depois da publicidade

Leia também

VÍDEO: Avião cai enquanto pulverizava plantação de banana em SC

Prefeito e vice de Tubarão teriam recebido propina de R$ 30 mil por mês, segundo Operação Mensageiro

Destaques do NSC Total