nsc
dc

Visita presidencial

Motociata e aglomeração: como foi a visita de Bolsonaro a Chapecó

Em tom de campanha eleitoral, Jair Bolsonaro criticou ex-presidente Lula e CPI da Covid

26/06/2021 - 06h24 - Atualizada em: 26/06/2021 - 14h23

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Clarissa
Por Clarissa Battistella
Presidente levou o prefeito João Rodrigues na motocicleta
Presidente levou o prefeito João Rodrigues na motocicleta
(Foto: )

A passagem de Jair Bolsonaro por Chapecó, no Oeste catarinense, neste sábado (26), teve motociata, aglomeração, inauguração de agência e discurso contra o PT e a CPI da Covid. A crítica à comissão e ao lockdown foi a única citação que o presidente fez em relação ao coronavírus. Sem máscara na maior parte do tempo, não comentou sobre o atual cenário da pandemia no Estado ou país.  

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp​ 

Motociata em Chapecó: gasto de Bolsonaro está na mira da CPI da Covid

Logo cedo, o presidente tomou café da manhã com algumas autoridades. Depois, pendurado à porta de um carro para acenar aos moradores, foi ao aeroporto para sobrevoar a cidade ao lado do prefeito João Rodrigues (PSD). 

Ao deixar o aeroporto, Bolsonaro foi cavalgando encontrar os motociclistas que o esperavam no Distrito Industrial. No caminho, alguns apoiadores correram ao redor do animal na tentativa de se aproximar do presidente, que estava cercado de seguranças e policiais. 

Na motociata que conduziu, Bolsonaro foi acompanhado do prefeito em uma motocicleta azul. O presidente pilotou o veículo na ida e volta a Chapecó. Eles partiram do Distrito Industrial por volta das 9h e percorreram a BR-282 até Xanxerê.

No município vizinho foi inaugurada uma agência da Caixa Econômica Federal. O trecho do trajeto foi bloqueado para o tráfego de outros veículos durante pelo menos três horas. A Polícia Rodoviária Federal coordenou o trânsito. 

Em alguns pontos, às margens da rodovia, moradores esperam pela passagem do presidente com faixas e bandeiras do Brasil. 

Moradores aguardam passagem do presidente em motociata em Chapecó
Moradores aguardam passagem do presidente em motociata em Chapecó
(Foto: )

Homem é detido com faca próximo à motociata

A Guarda Municipal de Chapecó abordou um homem nesta manhã após receber denúncias de que eles estaria ameaçando pessoas com uso de uma faca no Centro da cidade, próximo à motociata. Os agentes constataram que ele é um morador de rua, de 46 anos, já conhecido pelas forças de segurança pública do município. 

Levado à Central de Polícia, contou que portava a faca para a própria segurança, pois havia se envolvido em uma briga. A Polícia Civil descartou qualquer relação do ocorrido com a motociata do presidente. Um Termo Circunstanciado foi lavrado na delegacia.

Bolsonaro anda a cavalo em Chapecó
Bolsonaro anda a cavalo em Chapecó
(Foto: )
Motociata de Bolsonaro em Chapecó
Motociata de Bolsonaro em Chapecó
(Foto: )

Clima eleitoral em Chapecó

Bolsonaro chegou a Xanxerê por volta das 10h40min para a inauguração de uma agência do Caixa Econômica Federal. Diante de cidadãos que se aglomeraram em meio à pandemia do coronavírus para ver o presidente, fez uma fala rápida e deixou o local novamente de moto. 

De volta a Chapecó, participou de um encontro religioso no estacionamento do Centro de Eventos. Novamente, pessoas se aglomeraram diante do carro de som sobre o qual o presidente discursou. 

Em clima de eleição, falou sobre fraudes caso perca a disputa no próximo ano, atacou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a decisão que o tornou elegível, citou o plano de isentar motociclistas de pedágios de todo o Brasil e outros assuntos. 

Apesar do tom eleitoral, Bolsonaro negou estar na cidade pensando em 2022. 

— Não estamos fazendo campanha. É para mostrar que o presidente está do lado do seu povo. Vocês não estão aqui por minha causa, eu estou aqui por causa de vocês — declarou sob aplausos e gritos de "mito" dos presentes. 

— Estou muito emocionado e feliz, qualquer região que eu visito, sou tratado bem. O povo nordestino é igualzinho aos aqui da região Sul. Não existe essa figura de que lá eles idolatram o ‘ladrão’, pelo contrário, eles abominam e repudiam esse ‘ladrão’, que por 14 anos afundou nosso país — alfinetou. 

O presidente deixou o evento por volta das 13h e em seguida foi embora de Santa Catarina no avião presidencial. 

Bolsonaro no Centro de Eventos de Chapecó
Bolsonaro no Centro de Eventos de Chapecó
(Foto: )

Segurança

O passeio de moto do presidente da República teve um forte esquema de segurança organizado pelo Palácio do Planalto. A Polícia Militar mobilizou quatro regionais e quatro grupamentos para prestar apoio. 

O Ministério Público Federal (MPF), por prever eventuais infrações de trânsito, enviou uma recomendação à Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre a atuação durante a motociata. O documento pede que sejam multadas as pessoas sem capacete ou em veículo com placa ilegível, situações que já teriam ocorrido em eventos semelhantes promovidos pelo presidente.

Aglomeração é registrada em meio à pandemia em Xanxerê, com a visita de Bolsonaro
Aglomeração é registrada em meio à pandemia em Xanxerê, com a visita de Bolsonaro
(Foto: )

Passagem de Bolsonaro por Chapecó

Bolsonaro chegou em Santa Catarina às 14h50min de sexta-feira (25) em um voo presidencial. Desembarcou no aeroporto, onde se encontrou com apoiadores sem usar máscara e seguiu para o primeiro compromisso oficial, na Arená Condá. 

O chefe de Estado, que não atendeu a imprensa durante todo o dia, passou ainda por uma indústria de alimentos e palestrou para empresários à noite, no Centro de Cultura e Eventos Plinio Arlindo de Nes. Em espaços internos, Bolsonaro foi visto de máscara, item obrigatório em SC, Um decreto estadual prevê multa de até R$ 500 reais para quem não usar a proteção em ambientes fechados.

Essa é a oitava vinda do presidente às terras catarinenses desde que foi eleito e a segunda visita ao maior município do Oeste do Estado.​

Leia também

Superpedido de impeachment de Bolsonaro deve listar mais de 20 crimes

Bolsonaro tira máscara, manda repórter e equipe calarem a boca, reclama da CNN e ataca a Globo

Colunistas