nsc
    an

    Violência

    Mulher foi assassinada em Araquari após recusar relações sexuais com suspeito, diz polícia

    Versão foi construída após polícia interrogar o homem, colher depoimentos de testemunhas e analisar material colhido no local do crime

    25/09/2020 - 20h21 - Atualizada em: 25/09/2020 - 20h34

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    foto mostra cleide, em uma selfie
    Cleide estava desaparecida desde sábado; a família estava realizando buscas
    (Foto: )

    Cleide Gonçalves de Oliveira, 31 anos, foi morta por ter se recusado a ter relações sexuais com um homem que havia pagado bebidas para ela e uma amiga. É o que acredita a Polícia Civil, após a investigação feita em conjunto pelas delegacias de Araquari e Balneário Barra do Sul. 

    > "Ela tinha muito amor no coração", diz irmã de mulher encontrada morta em Araquari

    Cleide estava desaparecida desde sábado (19) e teve o corpo encontrado pela Polícia Militar na quinta-feira (24), enterrada nos fundos da casa alugada pelo homem na cidade. Ele foi preso em flagrante após procurar a polícia e confessar o crime.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

    Segundo a Polícia Civil, as investigações apontam que, depois de passar o dia pagando por bebidas para Cleide e para uma amiga dela, o indivíduo queria que ela "pagasse" os gastos dele com relações sexuais. Por isso, aproveitou-se de um momento em que ficaram sozinhos, ao saírem para comprar um lanche, e a levou para um local ermo.

    No entanto, diante da recusa da vítima em ceder às suas investidas, ele e Cleide teriam entrado em luta corporal. Ela sofreu diversas lesões na cabeça e foi golpeada na região pélvica por um instrumento perfurante ou perfuro-cortante, vindo à óbito. 

    > Militar que matou a mãe da vizinha em Itapoá é preso 

    Segundo a polícia, ele prestou informações no local do crime, foi interrogado por duas vezes e, em todas as oitivas, mudou parte da história, esqueceu detalhes importantes e entrou em contradição com os elementos de prova apresentados. 

    Homem alegou que foi furtado pela vítima

    Ele não confirmou esta versão. Segundo ele, Cleide havia furtado dinheiro de sua carteira e ele a levou a um local para tentar fazê-la confessar o crime e devolver a quantia — diante da recusa dela, ele teria rasgado sua blusa pata reaver o dinheiro. Ao ir embora, teria a atropelado de forma não intencional.

    A vítima foi encontrada pela polícia totalmente sem roupas e com um corte na região da barriga. Segundo o homem, teria sido uma tentativa de cortá-la ao meio, para que coubesse na cova que havia feito para escondê-la.

    Diante dos fatos, foi dada voz de prisão a ele pelos crimes de ocultação de cadáver e fraude processual, sendo o crime de homicídio, em razão de sua conexão, apurado em conjunto. O homem foi encaminhado à Unidade Prisional Avançada (UPA) de São Francisco do Sul, onde cumprirá prisão temporária e ficará à disposição da Justiça. 

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas