nsc
    dc

    Novas regras

    SC define restrições diferentes conforme o risco para coronavírus em cada região; entenda

    SC tem 12 regiões em risco gravíssimo; mapa é atualizado semanalmente

    17/08/2020 - 18h40 - Atualizada em: 17/08/2020 - 19h48

    Compartilhe

    Clarissa
    Por Clarissa Battistella
    Novas regras passam a valer a partir de sábado, conforme classificação do risco para coronavírus das regiões de SC
    Novas regras passam a valer a partir de sábado, conforme classificação do risco para coronavírus das regiões de SC
    (Foto: )

    O governo de Santa Catarina anunciou um novo conjunto de medidas para o enfrentamento do coronavírus, que passa a vigorar automaticamente de acordo com a classificação do mapa de risco de cada região. As restrições foram definidas por portaria da Secretaria de Estado de Saúde (SES), publicada nesta segunda-feira (17). A decisão já está em vigor e deve ser atendida imediatamente pelos municípios que compõem as regiões de risco gravíssimo. 

    > Painel do Coronavírus: saiba como foi o avanço da pandemia em SC

    > Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    A classificação de risco da pandemia leva em conta o índice de isolamento social, a ampliação dos leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a testagem da população e o fluxo de atendimento. 

    Na última atualização, Santa Catarina voltou a ter 12 regiões em risco gravíssimo, o que representa 75% do Estado. O restante, foi classificado como risco potencial grave, um nível abaixo do extremo e representado pela cor laranja (veja o mapa abaixo). 

    O Estado ainda prevê outros dois graus, com definições diferentes em portaria: risco alto e moderado, representados pelas cores amarela e azul. O mapa é atualizado semanalmente.

    Risco gravíssimo

    Para as cidades apontadas com risco gravíssimo - o pior grau que o Estado pode chegar - as regras são mais rígidas, o que inclui a possível suspensão do transporte público intermunicipal, tema que será definido entre os secretários de Estado de Saúde e Infraestrutura e Mobilidade, e o encerramento das atividades em estabelecimentos que não atendam às normas sanitárias de prevenção. A circulação de ônibus municipais será definida pelos prefeitos, conforme havia antecipado o colunista Renato Igor.

    Circulação dos ônibus municipais é deficina pelos prefeitos
    Circulação dos ônibus municipais é deficina pelos prefeitos
    (Foto: )

    Além disso, ficam proibidos para as regiões mais afetadas a abertura de cinemas, teatros e casas noturnas, o acesso de público a competições esportivas e a permanência de pessoas em espaços públicos, como parques, praças e praias, exceto para a prática de esportes individuais. 

    > Frigoríficos do Brasil podem adotar suspensão voluntária de exportações à China

    Também se definiu a suspensão das reuniões públicas e das aulas presenciais nas redes pública e privada, embora o retorno esteja previsto apenas depois de 7 de setembro. Com a bandeira vermelha - risco gravíssimo, os serviços públicos municipal, estadual e federal devem funcionar remotamente.

    Risco grave

    Assim como ocorre nas cidades classificadas como pior nível, os municípios que integram as regiões de risco grave precisarão respeitar uma séria de restrições. Os espaços públicos de uso comum, como parques, praias e praças, podem ser frequentados apenas para atividades físicas individuais. 

    O acesso de público em competições esportivas e as atividades em espaços de lazer, como teatros, cinema, bares, bem como a realização de shows e eventos que causam aglomeração também estão proibidos e as aulas presenciais ficam suspensas.

    > Neve em SC: previsão aponta chance de “evento intenso” a partir de quinta-feira

    Nessas cidades, no entanto, o setor público pode trabalhar de forma presencial desde que respeitada a lotação de 30% do total de agentes públicos em exercício. A circulação dos ônibus intermunicipais fica liberada para as regiões em risco grave. 

    Risco alto autoriza trabalho presencial no setor público com 30% do limite
    Risco alto autoriza trabalho presencial no setor público com 30% do limite
    (Foto: )

    Risco alto

    Para as cidades que integram as regiões de risco alto para o coronavírus, o setor público nas esferas municipal, estadual e federal deve atuar com 50% do limite. Essa é a única diferença entre a classificação de cor amarela, que representa o risco alto, para a laranja - risco grave.

    > Sobe para 31 o número de cidades de SC atingidas por temporal; veja quais são

    Risco alto autoriza trabalho presencial no setor público com 50% do limite
    Risco alto autoriza trabalho presencial no setor público com 50% do limite
    (Foto: )

    Risco moderado

    Classificadas como risco moderado, as regiões que aparecerem em cor azul no mapa do Estado estarão livres de restrições relacionadas ao transporte intermunicipal e ao serviço público, que pode funcionar normalmente, com exceção das escolas. As demais medidas seguem iguais.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas