nsc
nsc

Top of Mind 2021

Novo posicionamento da Fiesc reforça atuação em busca de indústria mais competitiva

Federação impulsiona o desenvolvimento e a geração de empregos em SC

27/12/2021 - 12h52 - Atualizada em: 27/12/2021 - 13h14

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
economia SC
Movimentação econômica de Santa Catarina é reflexo dos esforços da Fiesc
(Foto: )

Puxando a economia catarinense no pós-pandemia, a indústria gera emprego e renda para a população do estado. Prova disso é a retomada do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) a patamares anteriores à Covid-19 cinco meses antes da média nacional e o maior crescimento da indústria de todo o país. A produção do setor avançou 13,8% entre janeiro e outubro, na comparação com o mesmo período de 2020. Para valorizar ainda mais o “motor da economia”, a Federação das Indústrias de Santa Catarina lançou neste ano um novo posicionamento institucional.

> Ranking Top of Mind 2021: Conheça as marcas mais lembradas pelos catarinenses

Com conceito “Tem mais FIESC na sua vida do que você imagina”, a entidade reforça a importância do trabalho realizado pela Federação e pelas demais entidades da FIESC (SESI, SENAI, IEL e CIESC). Entre os objetivos, está mostrar aos empresários industriais o amplo leque de serviços à disposição do setor para tornar as empresas cada vez mais competitivas.

O vídeo que marca o lançamento da iniciativa contou com a participação dos colaboradores de entidades vinculadas à federação, mostrando que estão disponíveis para atuar em busca de uma indústria mais competitiva e desenvolvida. O movimento busca valorizar ainda mais a importância da indústria para o desenvolvimento do nosso estado.

- Quanto mais forte a nossa indústria, mais empregos, mais qualidade de vida, mais saúde, mais educação, mais inovação, mais competitividade, mais condições para Santa Catarina continuar crescendo e se desenvolvendo. É um círculo virtuoso. Ajudando a criar um ambiente favorável, lutando por menos impostos, menos burocracia e melhor infraestrutura, ajudamos a melhorar não só a vida do trabalhador, do empresário, do estudante, mas de todos os catarinenses. Mesmo que muitos ainda não saibam disso. E é por isso que nosso mote é 'Tem mais FIESC na sua vida do que você imagina – reforça o presidente da entidade, Mario Cezar de Aguiar.

Entidade também lança nova marca

Além do novo posicionamento, a entidade também lançou nova marca, em conjunto com suas entidades (CIESC, SESI, SENAI e IEL), que estão alinhadas com a CNI, fortalecendo a percepção da integração à entidade nacional de representação da indústria e aos departamentos nacionais do SESI e do SENAI. Entre as mudanças, estão a adoção da cor azul, em substituição ao verde, e o uso pela FIESC do slogan "Pelo futuro da Indústria" e "Pelo futuro do trabalho" pelo SESI e pelo SENAI.

De acordo com a entidade, quanto mais forte a nossa indústria, mais empregos, mais qualidade de vida, mais saúde, mais educação, mais inovação, mais competitividade, mais condições para Santa Catarina continuar crescendo e se desenvolvendo. Por isso, a entidade quer ajudar a criar um ambiente favorável, lutando por menos impostos, menos burocracia e melhor infraestrutura.

Atuação institucional

A Fiesc atua para defender os interesses dos empresários industriais de Santa Catarina, assim como o desenvolvimento da economia catarinense. Tendo isso em vista, apóia causas como a concessão do Porto de Itajaí à iniciativa privada, realiza abaixo-assinado em favor das rodovias federais que cortam o estado, na mobilização “Santa Catarina não pode parar”, busca alternativas para evitar o aumento excessivo em tarifas, como a de gás natural - insumo importante para a produção catarinense. Também realiza debates técnicos a respeito dos gargalos setoriais que envolvem as cadeias produtivas, pesquisas para balizar a tomada de decisão dos empresários e eventos que trazem mais informações sobre temas relevantes para a economia como um todo.

Indústria na criação de empregos

O setor industrial catarinense vem colaborando com a geração de empregos no estado. Santa Catarina terminou o terceiro trimestre de 2021 com a menor taxa de desocupação do país, segundo a pesquisa PNAD Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 5,3%. Ainda, de acordo com dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o saldo acumulado de empregos na indústria foi de 69,6 mil vagas até novembro. A nível nacional, são cerca de 526 mil.

Acesse o canal Top of Mind 2021 e saiba mais.

Leia também

Impactos na mobilidade urbana contribuem com aquecimento do setor automotivo em SC

O mercado já sabe: nenhum consumidor será como antes

Colunistas