nsc
dc

Educação

Palavras-chaves, resumos e grifar textos: confira as melhores e piores técnicas de estudo

Pesquisa com universidades americanas mostrou as formas mais e menos eficazes

19/10/2021 - 09h00

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Ao contrário do que muitos pensam, grifar e fazer resumos não são os métodos mais eficientes
Ao contrário do que muitos pensam, grifar e fazer resumos não são os métodos mais eficientes
(Foto: )

Uma pesquisa com universidades americanas mostrou as formas mais eficazes de estudo para você mandar bem no Enem e nos vestibulares. Ao contrário do que muitos pensam, grifar e fazer resumos não são os métodos mais eficientes. Confira as melhores e piores técnicas.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Para analisar os métodos de estudo, a pesquisa americana levou em conta quatro critérios: 

1 – Condições de aprendizagem: inclui aspectos do ambiente em que a técnica é aplicada, avaliando estudos em grupo e individuais); 

2 – Características dos alunos: incluem variáveis como idade, capacidade e nível de conhecimento prévio); 

3 – Materiais: variam de conceitos simples para problemas matemáticos até textos científicos complexos); 

4 – Critério de tarefas: incluem diferentes medidas de resultados que são relevantes para o desempenho do aluno, como os de memória, resolução de problemas e compreensão). 

> Gírias, palavrões e termos científicos que derrubam as notas na redação do Enem

Técnicas com alta eficiência

Teste prático 

Considerado uma das técnicas com maior utilidade no aprendizado dos estudantes, uma vez que pode ser implementado com um mínimo de treinamento e ainda exige um tempo razoável para sua prática. Além disso, os testes possuem ampla aplicabilidade em relação aos tipos de materiais, idade dos alunos e intervalos de retenção do conteúdo.

Prática distribuída de estudos

Programe-se e estudo o conteúdo ao longo dos dias e não deixe para estudar tudo na véspera da prova. Segundo o estudo, divulgado recentemente pelo jornal da Associação pela Ciência Psicológica dos Estados Unidos, a técnica funciona com estudantes de diferentes idades e com uma ampla variedade de conteúdos.

Técnicas com baixa eficiência

Resumos 

É uma estratégia eficaz de aprendizagem para os alunos que já sabem fazer resumo. No entanto, muitos precisam de treinamento extensivo para adotar a técnica adequadamente. Para ser eficaz, é preciso que o resumo tenha qualidade. O fato do aluno não enfatizar os pontos principais de um texto ou incluir uma informação incorreta não beneficia o aprendizado e nem a retenção das informações apresentadas. 

Grifar textos 

Pode até ajudar quando os alunos têm o conhecimento necessário para destacar as informações de forma eficaz, mas não é um indicativo de alto nível de utilidade. A marcação no texto chama a atenção do leitor, mas este precisa refletir sobre o significado e como suas peças diferentes se relacionam entre si. 

Palavra-chave mnemônica

Envolve a criação de imagens mentais associadas aos conteúdos apresentados. Apesar de resultados positivos, alguns aspectos implicam limitações em relação à utilidade da prática. Um deles é que o uso da palavra-chave mnemônica pode não resultar em uma retenção durável de conteúdo, ou seja, em longo prazo ela pode não ser tão eficaz dificultando o desempenho dos estudantes.

Veja todas as técnicas listadas no Blog do Enem, parceiro do NSC Total

Leia também

Saiba os 10 temas que mais caem no Enem desde 2009​​

Ensino híbrido: entenda o que é, como surgiu e a metodologia usada​

Sete passos para estruturar a Redação do Enem

Veja as 10 maiores notas de corte no Sisu

Colunistas